Que o Deputado Jair Bolsonaro divide opiniões, não é novidade. Bolsonaro nasceu em Campinas no dia 21 de março de 1955, é um militar da reserva e atualmente cumpre o seu sexto mandato como deputado pelo PP (Partido Progressista). O deputado ficou conhecido por protagonizar polêmicas, por se definir um nacionalista e conservador, por suas posições políticas de extrema-direita e por sua oposição ao comunismo e à esquerda. É criticado por defender a ditadura militar e considera a tortura uma prática legítima.

Bolsonaro coleciona “cenas” e declarações polêmicas. Uma das cenas mais comentadas durante o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Publicidade
Publicidade

Na votação do processo na Câmara dos Deputados, ao votar, Bolsonaro rendeu homenagens ao ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e antes de dizer o seu voto a favor, o dedicou ao coronel que torturou Dilma durante o regime militar. Além disso, durante a votação, o deputado levou uma cusparada na cara do também parlamentar Jean Wyllys (PSOL-RJ). Bolsonaro disse que a atitude de Jean foi um ato gravíssimo, mas não o processaria. Já Jean Wyllys, disse que foi provocado e ainda sim, afirmou que cuspiria na cara dele quantas vezes quisesse.

O Deputado Bolsonaro também é criticado por ter demonstrado racismo contra a cantora Preta Gil, filha do ex-ministro da cultura Gilberto Gil. Ao ser perguntado pela cantora sobre o que faria se um dos seus filhos se apaixonasse por uma negra, o deputado respondeu: “O Preta, não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja.

Publicidade

Não corro esse risco e meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambiente como lamentavelmente é o teu”. Além disso, Bolsonaro é criticado pela oposição por ter demonstrado racismo contra os indígenas, por estimular a homofobia, sugerir o fuzilamento de um ex-presidente da República entre outras.

Apesar de todas as polêmicas, insultos e confusões, #Jair Bolsonaro nunca foi punido por colegas. Ele se defende dizendo que o distorcem ou pegam partes de um discurso na intenção de prejudicá-lo. E afirma que independentemente das polêmicas protagonizadas, críticas e oposição, ele será um dos candidatos na eleição à presidência da República em 2018 e estará no segundo turno, como disse em uma entrevista concedida no quadro “Dois dedos de prosa”, no Programa do Ratinho, na quarta-feira, 15 de março de 2017.

#Eleições 2018 #Política