Jair Bolsonaro continua fazendo várias visitas em locais públicos e privados do país. Na semana passada, o político decidiu visitar a Faculdade Presbiteriana #Mackenzie, que fica em Higienópolis, região central de São Paulo.

Ao contrário do que o parlamentar está acostumado, em que avisa os locais onde estará para que militantes estejam o esperando, o mesmo não teve uma recepção calorosa na universidade. O Mackenzie, que é uma das universidades mais caras de todo o país, não tinha alunos satisfeitos com a presença do deputado, que chegou de surpresa, para evitar alardes.

Assim que perceberam que o deputado estava no local, alunos começaram a chamá-lo de machista e fascista.

Publicidade
Publicidade

Outros alunos que não sabiam o que estava acontecendo, ao vê-lo, entraram no coro para hostilizá-lo ou filmaram o ato para divulgar em suas redes sociais.

Bolsonaro não discutiu com os estudantes e não quis comentar o fato constrangedor que viveu. Ele estava com seu assessor e foi embora minutos depois da hostilização. Antes de ir, conheceu um departamento da universidade, o Centro de Pesquisa em Grafeno e Nanotecnologia (MackGraphe), e saiu do local por volta das 14h30.

O político foi até a universidade visitar o departamento e o professor, Bernardo Santoro, que prometeu fazer o que for possível para combater notícias falsas sobre o deputado. O docente também afirmou ser amigo do parlamentar.

A reação dos alunos e funcionários

Alguns alunos, que fizeram declarações na internet, publicando fotos ou vídeos da visita do político, declararam que não possuem partido ou político preferido, embora saibam que Bolsonaro generaliza todo opositor como um “petralha” ou “esquerdista”, mas que apenas não concordam com o jeito polêmico do parlamentar em defender seu ponto de vista, ofendendo outros grupos e opiniões.

Publicidade

Outros alunos disseram que é incompatível com uma instituição de ensino, receber alguém que declara que mulheres não devem ser estupradas por uma questão de merecimento ou que reprime direitos de casais homoafetivos, venha a ser recebido em uma universidade privada e espere ser aplaudido.

Os funcionários da universidade ficaram um pouco constrangidos e para não piorar a situação, evitaram falar do ocorrido, declarando apenas que o político decidiu visitar o local para conversar com os responsáveis pelo campus e pela construção de prédios novos.

No mês passado, uma universidade privada de Brasília cancelou uma visita de Bolsonaro, alegando que a visita nunca foi marcada e que a instituição não defende qualquer ideologia, logo, não aceitaria uma palestra do deputado. Os alunos ameaçaram protestar no auditório, caso o deputado aparecesse. Segundo a assessoria do parlamentar, o evento estava confirmado com a universidade, até uma semana antes do ocorrido.

Assista ao #Vídeo em que Bolsonaro é hostilizado:

#Jair Bolsonaro