O "Cotão", ou verba indenizatória, é um valor mensal que todo deputado e senador recebe para bancar gastos do seu mandato parlamentar. No ano de 2016, os parlamentares utilizaram nada mais nada menos do que R$ 235 milhões. Esse valor equivale a um pouco mais de 250 mil salários mínimos. A bancada do PMDB foi a que mais gastou e utilizou esse recurso para ressarcir seus parlamentares. Deputados e senadores do partido gastaram R$ 31,45 milhões.

O Partido dos Trabalhadores ficou em segundo lugar, gastando R$ 28,25 milhões. Se juntarem os valores de PMDB e PT, as duas maiores bancadas do Congresso, equivale a 23% do que foi gasto de verba indenizatória por todos os partidos. O PSDB fica em 3º lugar no quesito gastos do Cotão, com 22,27.

Principais gastos na Câmara

A prioridade de gastos entre os deputados federais é no mínimo curiosa. Entre os diversos motivos que um parlamentar tem para gastar sua cota, a razão preferida dos deputados é "divulgação de atividade parlamentar". Nessa área, os deputados utilizaram R$ 48,2 milhões. A emissão de bilhetes aéreos, o que é de se imaginar que seja o principal gasto, ficou em segundo lugar, com gastos na casa de R$ 44,5 milhões. O terceiro lugar, bem abaixo do top 1 e 2, são gastos com locação e fretamento de veículos, quando foram gastos R$ 26,1 milhões.

A empresa em que os deputados mais gastaram dinheiro foi a Latam, com R$ 21 milhões.

Principais gastos no Senado

Já os gastos dos senadores seguem mais a linha do que o grande público imagina. O principal motivo para despesas dos senadores são Passagens aéreas, aquáticas e terrestres, com o valor de R$ 6,08 milhões. Já o quesito locomoção, hospedagem, alimentação, combustível e lubrificação ficou em segundo lugar, sendo gasto R$ 5,85 milhões. Para fechar o top 3, aluguel de imóveis para escritório político, compreendendo despesas concernentes a eles foi o 3º maior motivo de gastos, com R$ 4,91 milhões.

Diferente dos deputados, de a divulgação de atividades parlamentares estava disparada na frente, entre os senadores, esse quesito de gasto fica na 4ª colocação, sendo empregado o valor de R$ 3,07 milhões.

A empresa que mais recebeu dinheiro dos senadores foi a Adria Viagens e Turismo, com R$ 1,33 milhão.

Parlamentares que mais gastaram

Os valores do Cotão variam com relação ao estado em que o parlamentar foi eleito para representar. Os valores entre os deputados variam de R$ 30,7 mil e R$ 45,6 mil. Já entre os senadores os custos são entre R$ 21 mil e R$ 44 mil. Como os valores do Cotão abrangem passagem aérea, deputados e senadores que regiões mais afastadas de Brasília normalmente tendem a ser os que mais gastam. Isso explica o porquê os cinco senadores e deputados que mais gastaram no ano são da região Norte.

Senadores

João Capiberibe (PSB-AP) - R$ 496.583,22

Telmário Mota (PDT-RR) - R$ 488.678,92

Paulo Rocha (PT-PA) - R$ 485.111,14

Randolfe Rodrigue (Rede-AP) - R$ 471.847,84

Gladson Cameli (PP-AC) - R$ 459.977,83

Deputados

Rocha (PSDB-AC) - R$ 561.365,45

Edio Lopes (PR-RR) - R$ 545.936,86

Hiran Gonçalves (PP-RR) - R$ 544.870,54

Abel Mesquita Jr (DEM-RR) - R$ 537.136,28

Carlos Andrade (PHS-RR) - R$ 529.630,31 #Dentro da política