O deputado federal Jair Messias Bolsonaro comentou, em sua página oficial do Facebook nessa terça-feira, dia 7 de março, sobre um caso polêmico onde o padre Júlio Lancelotti, da Pastoral do Povo de Rua, da igreja católica, fez duras críticas ao parlamentar durante uma de suas pregações.

Sendo o próprio Bolsonaro católico, o mesmo comenta que considerou absurdas as alegações do padre, que dizia, em vídeo, achar "vergonhoso" que tantos brasileiros apoiem o pré-candidato conservador, além de dizer abertamente que Bolsonaro defende a submissão da mulher diante do homem, o extermínio de indivíduos homossexuais e dissemina a violência.

Publicidade
Publicidade

Bolsonaro comenta que o padre Lancelotti já foi acusado de #Pedofilia, tendo como advogado na ocasião Luiz Eduardo Greenhalgh, ex-deputado filiado ao PT e ligado ao MST, opositores de Bolsonaro. Ainda disse que o padre pagou mais de 50 mil reais, incluindo o valor de um carro, ao pai do garoto que teria supostamente abusado sexualmente.

O deputado critica o ato de usar uma pregação dentro da igreja para fazer falsas acusações ao mesmo, classificando como um "absurdo" utilizar-se do nome de Deus para praticar blasfêmia e calúnias. O mesmo garante, ainda, que até as eleições de 2018, muito mais atitudes do tipo ocorrerão, a fim de deslegitimar a sua candidatura à presidência. "É daí pra pior o nível dessas pessoas", diz o mesmo sobre o caso, referindo-se à sua oposição.

Sobre a acusação de pedofilia, o padre Júlio Lancelotti diz ter sido extorquido por cerca de 3 anos e chantageado por uma família, para quem deu cerca de 80 mil reais ao longo dos anos, incluindo um carro Mitsubishi Pajero, do ano 2004.

Publicidade

Apesar de negar qualquer envolvimento com as acusações de pedofilia, o padre não convenceu a Justiça dos motivos pelos quais deu este dinheiro à família se era inocente. O mesmo caiu em contradição ao declarar primeiro que havia dado cerca de 50 mil reais, em seguida, disse que o valor era próximo aos 80 mil. O mesmo alegou ter cedido à chantagem por medo do que as acusações poderiam acarretar em sua vida.

Nos comentários da publicação de Bolsonaro, muitos eleitores e apoiadores declararam ver cenas similares dentro de suas próprias igrejas, onde padres e pastores, entre outras figuras, utilizam-se do poder dentro do templo para disseminar opiniões políticas da mesma forma. Diversos xingamentos e muitas críticas foram feitas tanto ao padre Lancelotti quanto à sua atitude.

#Eleições 2018 #Jair Bolsonaro