O líder do partido Democratas, Ronaldo Caiado (DEM-GO), foi um dos poucos políticos que resolveram "dar a cara" nas manifestações deste último domingo, 26 de março. Caiado foi enfático e criticou o governo do presidente da República Michel Temer. Sem poupar as palavras, o senador disse que Temer não teria "credenciais e credibilidade" para assumir o comando de um país como o Brasil.

A manifestação que tinha como foco principal o apoio as investigações da Operação #Lava Jato e apoio ao juiz federal Sérgio Moro, notável pela forma com que apura crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, punindo políticos e empresários, contou com a presença de vários grupos da direita brasileira.

Publicidade
Publicidade

Caiado falou ao público presente que o governo perdeu a "capacidade de comunicação", e as reformas que tenta articular ficam de fato, perdidas.

Mesmo criticando Michel Temer, o senador avaliou que agora não seria a hora de dizer "Fora Temer", havia manifestantes que enfatizaram que o atual presidente deva sair do comando, mas organizadores do evento evitaram abrir espaço para o "fora Temer" e focaram em outros assuntos, como a Operação Lava Jato, fim do foro privilegiado e desarmamento.

Este protesto foi o que menos atraiu pessoas, em 2015 e 2016 as manifestações foram muito maiores. O senador justificou o número menor de pessoas devido aos protestos anteriores terem como ênfase o Partido dos Trabalhadores, que ganhavam a cena dos políticos corruptos investigados. O líder do DEM focou que também deseja o fim do foro privilegiado, que é uma forma de "proteção" a políticos que estão sendo investigados, deixando-os "ilesos" a operações.

Publicidade

Regina Duarte também participou

A atriz Regina Duarte discursou através do movimento de direita "Vem pra Rua", ela contou que com o apoio de várias pessoas para com as operação da Lava Jato, ela teria então, "perdido o medo". Duarte lembrou de uma propaganda que fez nas eleições de 2002 de José Serra, na qual enfatiza ter "muito medo" do Lula ficar na presidência do Brasil, o que consequentemente aconteceu. #fimdoforoprivilegiado #Protestos no Brasil