Em meio ao amontoado de denuncias e delações de empreiteiros da Odebrecht envolvendo o meio politico, o PSDB tenta, ao máximo, aproveitar seu espaço de destaque a frente do governo de Michel Temer. Porém, mesmo com um discurso que tenta passar idoneidade e apontar todos os dedos e críticas ao Partido dos Trabalhadores (PT), o PSDB também deixou alguns de seus erros escaparem ao grande público.

Segundo dados oficiais do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Partido da Social Democracia Brasileira de Minas Gerais declarou doações no valor de R$ 1,5 milhão por parte da Odebrecht aos candidatos Pimenta da Veiga (PSDB)l ao governo mineiro, Antonio Anastasia (PSDB), ao Senado, e Dimas Fabiano (PP) a deputado federal.

Publicidade
Publicidade

Porém, segundo o ex-diretor da Odebrecht Benedicto Junior, no ano de 2014,a empreiteira doou R$ 6 milhões por meio de caixa 2 ao PSDB. Se formos fazer um comparativo com o que é delatado e o que foi declarado, o valor se refere a apenas 25% do total de dinheiro recebido pelo partido de Aécio Neves.

O candidato a governador de Minas Gerais pelo PSDB, Pimenta Veiga, declarou ter recebido apenas 200 mil reais por parte de doações da Construtora Norberto Odebrecht. Outros 780 mil reais teriam vindo diretamente dSuo diretório estadual do PSDB de Minas Gerais. Antonio Anastasia, que foi relator do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, declarou ter recebido R$ 50 mil em doações da Odebrecht. Já a receita vinda do diretório do PSDB equivalia a R$ 112 mil. O terceiro candidato, Dimas Fabiano, não registra nenhuma doação vinda da Odebrecht.

Publicidade

Normalmente, os candidatos estaduais possuem como fonte principal de renda os repasses fornecidos pelos diretório estaduais. No caso do PSDB de Minas Gerais, eles declararam ter recebido R$ 730 mil de forma direta e outros R$ 560 mil de forma indireta, por meio exatamente do diretório nacional, que é presidido por Aécio Neves, também advindo do PSDB mineiro.

Aécio 2014

Não foram apenas as campanhas de candidatos estaduais que receberam dinheiro da Odebrecht. Aécio Neves foi outro que recebeu doações e os números não batem como declarado, segundo o delator. Benedicto Júnior afirmou que o maqueteiro de Aécio recebeu R$ 3 milhões de caixa 2 para a campanha de presidente em 2014 do tucano. Segundo as doações registradas pelo Tribunal Superior Eleitoral, R$ 4 milhões foram diretamente ao candidato e R$ 12,6 milhões ao diretório nacional tucano.

Respostas

O diretoria do PSDB de Minas Gerais afirmou em nota ao jornal O Globo que todas as doações foram registradas como determina a lei. Já a assessoria de Antonio Anastasia afirmou que o tucano “nunca tratou” de qualquer assunto ilícito e que Anastasia não tem contato com qualquer pessoa ou empresa que pratique atos ilícitos.

Publicidade

Aécio Neves respondeu as acusações por meio de vídeo divulgado no Facebook. Além do executivo, que o citou como receptor de doações, Marcelo Odebrecht, ex-presidente da empreiteira, também apontou caixa 2 na campanha presidencial do tucano Aécio Neves. #Dentro da política