O prefeito de São Paulo, João Doria, deu uma pequena entrevista para a Revista #Forbes e falou um pouco sobre a sua rotina. A sua infância foi bem complicada, após seu pai, o advogado João Agripino da Costa Doria Neto ter que se exilar em Paris. O pai de Doria chegou a ser deputado federal e apoiava o então presidente João Goulart. Após o golpe militar, de 1964, ele foi obrigado a ir embora do país, pois estava acuado. João Doria pai levou toda a família, mas pelas circunstâncias difíceis da época, teve que enviar de volta ao Brasil sua esposa e seus filhos.

Com a ausência de seu pai aqui no Brasil, Doria e sua família tiveram dias difíceis.

Publicidade
Publicidade

Faltava comida e eles tinham que se virar. O almoço deles chegava a ser uma fatia de pão com manteiga e sal e a sobremesa uma fatia de pão com açúcar. Sua mãe chorava muito e Doria se entristecia com isso. Em vários momentos a luz era cortada por falta de pagamento.

Revelações

O prefeito começou a trabalhar cedo para ajudar sua mãe e aos 13 anos já era publicitário. Segundo pessoas próximas dele, Doria nunca se cansa, nunca fica doente, não sente dor. Trabalha 16 horas por dia, inclusive aos sábados e dorme apenas 3 horas por noite. Não tem vícios, não bebe e sempre ressalta que a situação difícil que passou favoreceu ele ser essa pessoa de hoje que dá valor ao trabalho.

As dificuldades de sua vida foram tranquilizadas através de orações que ele fazia junto com sua mãe e seu irmão toda noite.

Publicidade

João Doria comentou também que uma das coisas que o impulsionou a entrar na política foi o desastre político, econômico e moral que o PT causou no país.

Carta de seu pai

O tucano revelou uma carta que leu de seu pai e que o encorajou a buscar mais dignidade para a vida das pessoas necessitadas. Muito apaixonado pelo pai, Doria falou que na carta, que seu pai tinha escrito para sua mãe, dizia que ele não se arrependia de nada. Trecho da carta: "Não me arrependo das posições que assumi, pois respeito as minhas convicções. Não abro mão delas a troco de uma vida cômoda ou de uma prosperidade negociada às custas da miséria do povo brasileiro".

Esta carta estava dentro de um baú, guardada por vários anos e mostrou que seu pai queria uma vida melhor para os pobres. O tucano disse que irá seguir esse caminho e buscará ajudar os necessitados.

Questionado sobre qual seria a sua profissão, afinal: publicitário, apresentador, empresário, político, ele responde com alegria: "Sou um cidadão brasileiro". #João Dória #São Paulo