O vereador #Carlos Bolsonaro, do Rio de Janeiro, fez uma publicação no microblog Twitter neste dia 19 de fevereiro que causou alvoroço. A publicação comparava a #Operação carne Fraca à questão de ideologia de gênero.

Divulgada recentemente, a Operação Carne Fraca constatou que diversas empresas grandes do setor alimentício do país estavam comercializando carnes fora dos padrões da Vigilância Sanitária. Piadas sobre brasileiros consumirem papelão ao invés de carne popularizaram-se nas redes sociais e Carlos publicou um "meme" com a imagem de Fátima Bernardes, que fez propaganda para uma marca de carnes, dizendo que, segundo a ideologia de gênero, o papelão poderia ser considerado carne.

Publicidade
Publicidade

"Basta querer e pronto!", comentou o vereador na legenda.

Seu pai, o deputado federal Jair Bolsonaro, que também é pré-candidato às eleições presidenciais de 2018, compartilhou a imagem e a mesma opinião feita em tom de deboche. A família Bolsonaro, especialmente Jair, já gerou polêmicas e discussões acerca de seus posicionamentos que pendem ao conservadorismo.

Após a repercussão da piada, Carlos Bolsonaro ainda divulgou um artigo do jornal O Globo que dizia que o mesmo teria ridicularizado a ideologia de gênero ao fazer a comparação.

Seu pai, Jair, declarou em recente entrevista ao Programa do Ratinho (SBT), que foi ao ar neste dia 15 de março, que acredita que irá a segundo turno nas eleições de 2018. O parlamentar já anunciou diversas vezes que será um candidato e pesquisas recentes mostram que, de fato, a probabilidade do mesmo ir a segundo turno contra o ex-presidente petista Lula são grandes.

Publicidade

Na entrevista, que durou cerca de 30 minutos, o entrevistador Ratinho deu apoio à sua candidatura e disse acreditar que Bolsonaro esteja sendo perseguido pela mídia. Ratinho disse que, ao seu ver, muitas pessoas sentem o desejo de prejudicar Bolsonaro e defendeu o mesmo. O pré-candidato disse que o Brasil precisa de alguém que tenha "pulso forte" no governo, dando a si mesmo como exemplo e como opção viável. Tanto Bolsonaro quanto seus filhos e eleitores tem marcado presença na internet, principalmente em situações polêmicas em que haja a abertura para a emissão de opiniões, estas muito requisitadas à figuras públicas, como o próprio Jair.

O próprio Carlos frequentemente usa as redes sociais para divulgar as opiniões e projetos de seu pai, publicamente apoiando a candidatura do mesmo à presidência.

#Jair Bolsonaro defendeu-se, ainda sobre o assunto trazido à tona pela Operação Carne Fraca, de acusações de ter recebido propina da JBS Friboi em 2014. O mesmo alegou ter sido o único a devolver a doação em dinheiro e sugeriu que seus detratores enviassem a tal "manobra fiscal" ou suas "pedaladas" à polícia, em tom de ironia.

Publicidade

Segundo ele, ainda que não houvesse o termo "propina ilegal" à época, o mesmo já antevia o que poderia acontecer.

Na página de Carlos, apoiadores disseram que, independente de Jair ter aceitado ou não a verba de doação, pela mesma vir do seu partido e não direto da empresa, não seria corrupção. Carlos disse que, ainda que aceitar a doação não fizesse o mesmo ser corrupto, foi uma questão de consciência e que o caso era um "quebra-cabeças monstruoso".