Os militantes petistas vivem com grandes esperanças do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltar ao poder. O #PT só possui #Lula como estratégia para vencer as eleições de 2018. O presidente do partido, Rui Falcão, já avisou que Lula é o grande favorito e que logo ele estará de volta à Presidência da República.

A tropa de choque do PT, que até agora não concordou com o impeachment sofrida pela ex-presidente Dilma Rousseff, sente no ar uma "expectativa gloriosa' de ter o ex-presidente de novo a comandar o país.

Manifesto com assinatura de alguns artistas foi feito pedindo a candidatura de Lula. Até Abaixo-assinado, com iniciativas petistas, já está "rodando" pedindo garantias do povo brasileiro de escolher quem eles quiserem para ser presidente do Brasil.

Publicidade
Publicidade

Analisando o cenário do otimismo dos petistas, basta Lula concorrer que a vitória já é certa. Mas as coisas não parecem tão "perfeitas" como os simpatizantes de Lula estão pensando. Confira a razão de se evitar o "já ganhou".

Prisão de Lula

Várias são as razões que podem terminar com o sonho do PT. Nas pesquisas realizadas até agora, existem muitos candidatos citados que com certeza nem vão concorrer, como é o caso do juiz Sérgio Moro, da presidente do STF Cármen Lúcia, e do presidente Michel Temer e etc. Isso faz com que confundam o povo e a opinião pública, tornando a pesquisa sem nexo.

Por ser réu em cinco processos, Lula pode fica inelegível e o pior de tudo, pode ser preso. De acordo com dados recentes quase metade da população brasileira torce por sua prisão e 65% apoiam os trabalhos do juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato.

Publicidade

Sem contar a rejeição do petista que soma 66%.

"Fim do PT"?

Existem vários outros motivos que podem levar o PT a uma grande derrota. Nas eleições passadas, o povo já demonstrou que não está feliz com o partido. O PT teve uma reação negativa nas urnas com a corrupção que devastou seus parlamentares.

O "Fora Temer" que foi o slogan usado pelos militantes, desde o impeachment de Dilma, ficou um pouco "abafado" e não teve tantos adeptos quanto eles pensavam que teriam.

E por último, podemos dizer que de todas as pesquisas feitas, mais de 60% dos eleitores ainda não definiram seu candidato.