O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo comando das investigações da Operação #Lava Jato, irá na tarde desta quinta-feira, 30 de março, até a Câmara dos Deputados, em Brasília. O juiz que ganhou grande notoriedade com a forma em que conduz as investigações e julga os criminosos, colocando na cadeia grandes políticos e empresários brasileiros, foi convidado pelos deputados federais a participar de uma comissão especial.

A Comissão Especial do Processo do Código Penal, a PL 8045/10, quer Sérgio Moro para debater, pois o juiz federal seria uma referência sobre o tema: Combate ao Crime Organizado. Moro trabalha na 13ª Vara Federal do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, no estado do Paraná.

Publicidade
Publicidade

O que chamou atenção, é que a Polícia Legislativa da Câmara recebeu um pedido do juiz para que seja feita um esquema de segurança reforçado para sua chegada. O juiz tem muitos "fãs", mas há também pessoas que não compactuam com suas ideias.

Além de Moro, o juiz da 10ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Silvio Rocha, também foi convidado pela Câmara. A proposta a ser debatida irá substituir o Decreto-Lei 369/41, que surgiu em outubro de 1941. O assunto é sobre as regras que fazem parte da organização da justiça penal que estão no Direito Penal e na Lei das Contravenções Penais.

A deputada federal Keiko Ota (PSB-SP), foi a responsável por solicitar uma audiência pública, foi ela quem disse que Moro é uma pessoa de referência nesse assunto, enfatizando que o juiz poderá contribuir com a proposta de forma positiva.

Publicidade

Operação Lava Jato

Sérgio Moro chegou a grandes políticos com as investigação da Lava Jato, entre eles está o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

Lula é réu em 6 processos penais, a maioria com acusações de corrupção e lavagem de dinheiro. Delações premiadas como a do senador Delcídio do Amaral, incriminam Lula. O ex-presidente é acusado em um dos processos de ter sido o mandante em uma tentativa de "comprar" o silêncio do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró. #Câmara dos Deputados #Sergio Moro