Para a Ordem dos Advogados do Brasil (#oab), o filho do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo #Crivella, não tem capacidade nenhuma em assumir o cargo na administração pública da cidade carioca, a vaga em referência é a de secretario da Casa Civil da cidade do Rio de Janeiro. Um documento foi protocolado no Supremo Tribunal Federal (STF), enfatizando que o filho do prefeito não teria nem currículo para assumir um cargo tão importante.

Marcelo Hodge Crivella foi indicado pelo seu próprio pai para a assumir essa vaga no dia 2 de fevereiro desde ano, mas logo no dia 9 de fevereiro uma surpresa para a família: o ministro do STF, Marco Aurélio Mello, avaliou que o caso se trataria de #Nepotismo, que é favorecimento de parentes para exercer cargos públicos.

Publicidade
Publicidade

Agora uma "batalha" foi travada entre o prefeito e a OAB, para Crivella o cargo que escolheu para o seu filho não é atingido pela súmula vinculante do STF. A OAB entrou com um pedido de "amicus curiae", o órgão não estaria envolvido diretamente na causa mas dará toda assistência com informações necessárias.

A OAB também cita que isso estaria afrontando os interesses públicos por se tratar desmascaradamente de um caso de nepotismo. Um outro ponto também é abordado pelo órgão, que tem como responsável o presidente Claudio Lamachia. O filho de Crivella não teria um bom currículo para assumir o cargo, não seria uma pessoa com experiência e capaz para encarar o desafio.

Segundo o órgão "Marcelo não tem capacidade técnica", sua formação em psicologia cristã e experiência em empresas privadas não seria o suficiente.

Publicidade

Agora, Crivella tenta provar o contrário, o prefeito já enviou vários currículos de seu filho para o STF e até um diploma de um curso que ele teria concluído no exterior.

Psicologia cristã?

O Conselho Federal de Psicologia (CFP), disse que desconhece o curso feito pelo filho de Crivella. Segundo o conselho, isso não seria uma especialidade da psicologia e não está entre as 12 especialidades reconhecidas e validadas, enfatizando que quem possuí esse diploma está causando preocupação, já que não pode exercer a profissão de psicólogo no Brasil.