Neste sábado (11), em um festival de cinema realizado em Genebra, na Suíça, a ex-presidente #Dilma Rousseff se fez presente ao participar de discussões com temáticas relacionadas aos direitos humanos. A petista concedeu uma entrevista e disparou de forma categórica que o objetivo político do país é a garantia de que o ex-presidente Lula seja candidato nas próximas eleições em 2018, afirmou a reportagem da revista "ISTOÉ".

Dilma revelou que as dificuldades do país somente serão cessadas após o comando do ex-presidente. Na verdade, "Assegurar que #Lula seja candidato é fundamental", esclareceu a petista deixando claro que não há nenhuma possibilidade que impeça o petista de disputar o cargo da Presidência da República.

Publicidade
Publicidade

Lula vem sendo investigado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, ademais, já se tornou réu em cinco ações penais, três delas são de autoria da Lava Jato (operação que apura os crimes ocorridos nas dependências da Petrobras, na gestão do Partido dos Trabalhadores-PT).

Apesar do extenso currículo, o petista se destaca com vitória em primeiro turno nas pesquisas de intenção de voto, além disso, conseguem chegar à frente em todos os quesitos como o favorito para as eleições de 2018.

A ex-presidente comentou ainda que Lula, por um longo período, foi alvo de inverdades e sofreu bastante com questionamentos irreais por parte a mídia, ou seja, os veículos de comunicações os quais influenciaram muitos brasileiros, porém, a petista ressaltou com orgulho: "ele é o primeiro nas pesquisas".

Publicidade

Perguntada se pretende voltar às urnas novamente como candidata ao posto mais alto do executivo, a petista deu uma pausa e declarou que não há intenção de disputar a presidência, todavia, considerou com grandes expectativas outros cargos, como, por exemplo, senadora da República ou deputada.

Dilma fez questão de ressaltar que sempre se preocupou com o futuro e, por isso, sabe que o retorno de Lula é indispensável para o país sair da recessão. A ex-presidente alertou que na atual conjuntura o seu interesse até 2018 é assegurar que o Brasil tenha um encontro direto com a democracia. #Lava Jato