O nome do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), sendo cogitado como representando do PSDB na eleição presidencial de 2018 está causando um mal-estar interno no partido. Algumas pessoas já defendem a presença de Doria no pleito com o discurso do "não político". Os dois nomes mais fortes dentro do partido, Aécio Neves, presidente nacional, e Geraldo Alckmin, chefe tucanato em SP, são as outras duas vias.

João Doria já recebeu críticas de Fernando Henrique Cardoso, em entrevista ao Estadão, quando afirmou que "gestou não inspira nada. Tem que ser líder". Se apresentar como um grande gestor, e não político, foi o principal mote da campanha do tucano.

Publicidade
Publicidade

As três principais figuras do PSDB de São Paulo, Alckmin, José Serra e FHC, não querem ver Doria numa disputa presidencial. Aécio ainda não fechou questão, mas ainda se vê como principal candidato do partido, pois preside o diretório nacional.

Doria já disse por diversas vezes que seu candidato em 2018 é Alckmin, por isso mesmo determinou "lei do silêncio" entre seus assessores para não espalhar mais a brasa em seu nome como postulante à eleição. #Dentro da política