O prefeito de São Paulo, a maior cidade do Brasil e uma das maiores do mundo, João Doria, esteve reunido com o ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, no último dia 18 e um dos principais assuntos tratados pelos dois, foi a candidatura à presidência do Brasil, no próximo ano. A campanha presidencial vem se tornando cada vez mais discutida nos bastidores do PSDB, já que figurões do partido encontram-se envolvidos, ou pelo menos, citados na Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, o que, em tese, poderia inviabilizar algumas candidaturas, dependendo do progresso das investigações da força-tarefa, como por exemplo, em relação ao presidente nacional da sigla Aécio Neves (PSDB-MG).

Publicidade
Publicidade

Outros nomes fortes do partido, são o ex-ministro das Relações Exteriores, do governo do presidente Michel Temer, José Serra e também , o atual governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Apoio popular

O PSDB vem se deparando com uma situação atípica entre os principais possíveis presidenciáveis da sigla. O prefeito de São Paulo, João Doria, vem se destacando para se tornar um grande nome para a disputa presidencial. O prefeito paulistano, por meio da implementação de programas inovadores, já conta com grande apoio de parcela significativa da população, segundo as últimas enquetes presidenciais. Pode-se mencionar projetos da prefeitura de São Paulo, bem vistos aos olhos dos munícipes da capital, como por exemplo, o programa "Corujão da Saúde, que praticamente "zerou" as filas por consultas em São Paulo, o que há anos não se via qualquer ação mais marcante nesse sentido.

Publicidade

O próprio meio empresarial já deu mostras de que apoiaria a campanha de João Doria ao pleito presidencial.

Conselho de Fernando Henrique Cardoso

O ex-presidente Fernando Henrique e o prefeito de São Paulo, desde a eleição em que Doria foi eleito. Durante o encontro no último sábado (18), portanto, somente agora divulgado e anterior às críticas de #FHC ao prefeito, o ex-presidente deu um conselho bem "inusitado" ao prefeito, em relação à intenção de Doria, de se firmar como um provável candidato à presidência da República: "Não se mova. Se as águas dos rios forem em sua direção, está ok, porém, não se mexa agora", aconselhou FHC. O ex-presidente contou a Doria sobre a sua própria trajetória política, ao afirmar que um ano e meio antes das eleições de 1994, ele era apenas um senador "fora dos holofotes". Tudo começou a mudar, a partir do momento em que FHC se tornou ministro da Fazenda em 1993. Consequentemente, após a implantação do Plano Real, FHC se tornou candidato à presidente e venceu a eleição em primeiro turno.

#Eleições 2018 #João Dória