O ex-deputado federal, Fernando Chiarelli, perdeu a oportunidade de concorrer a eleição para a Prefeitura de Ribeirão Preto, interior de São Paulo. O motivo, é nada comum no meio político, ainda mais com as recentes investigações e prisões da Operação Lava Jato. O PT do B estava pronto para lançar Chiarelli para a prefeitura, mas momentos antes do anúncio, o improvável aconteceu.

A Polícia Federal chegou com três agentes federais e levou o ex-deputado diretamente para a #Prisão. Por Chiarreli ser uma pessoa sem papas na língua, o motivo da prisão foi por ele ter afirmado que a então prefeita da cidade, Dárcy Vera (PSD) era corrupta.

Publicidade
Publicidade

A #Justiça Eleitoral estabeleceu a pena em um ano e oito meses no regime semiaberto. A acusação de que Dárcy era corrupta, foi pronunciada quatro anos antes da decisão da Justiça.

Além de chamar a prefeitura de corrupta, Chiarelli se referia a ela como "criatura maldita" e "ave de mau agouro". O que mais impressiona na decisão da Justiça, é que realmente, Dárcy Vera era corrupta. Após passar 45 dias na penitenciária de Tremembé, em uma situação que ele citou ser "constrangedora", o ex-deputado é surpreendido por um noticiário.

Afirmado as falas que ele atribuía a prefeita, o Ministério Público Federal em uma operação da Polícia Federal, batizada de "Mamãe Noel", estabeleceu que Dárcy participou de um esquema corrupto organizando fraudes e crimes, prejudicando em cerca de R$ 203 milhões a cidade de Ribeirão Preto.

Publicidade

Dárcy cumpriu pena de onze dias na cadeia e agora está com seus bens bloqueados, presa em sua residência. O ex-deputado não deixou o caso quieto: "Eu era chamado de aloprado, insano. Mas já sabia. Fui levado para a cadeia, como se fosse um bandido, enquanto ela seguia saqueando."

A ex-prefeita foi procurada para dar esclarecimentos sobre esse caso, mas sua advogada disse que ela não quer dar entrevistas. Dárcy jura que nunca recebeu propinas ou participou de fraudes desviando verbas. A advogada Maria Cláudia Seixas disse que o caso com o ex-deputado não se relacionam. #Corrupção