O ex-ministro de Turismo da gestão de Michel #Temer, Henrique Alves, não sabe como tanto dinheiro foi parar em sua conta na Suíça. Alvo da Operação Lava Jato, ele confirmou que abriu uma conta em Genebra, mas não se lembra de ter movimentado nela cerca de R$ 2,5 milhões.

Os advogados de Alves disseram que ele abriu a conta em 2008 mas desconhecem a movimentação na conta pelo ex-ministro. Segundo os advogados alguém pode ter movimentado os valores sem a autorização de Alves.

O Ministério Publico Federal (MPF) fez um grande favor ao ex-deputado: identificar a origem do dinheiro. De acordo com o MPF, essa fortuna vem de propina da construtora Carioca Engenharia em troca de liberação de verbas pela Caixa Econômica Federal, através do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviços).

Publicidade
Publicidade

O ex-ministro pode ter sido beneficiado pelas obras do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro.

Processo

Henrique Alves está sendo acusado pela Procuradoria da República por lavagem de dinheiro e #Corrupção passiva. Segundo a Procuradoria, os depósitos na conta de Alves foram feitos em outubro, novembro e dezembro de 2011.

Alves pediu demissão do cargo de ministro do Turismo ao ser citado na delação do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado. O empresário disse que Alves recebeu propinas em torno de R$ 1,5 milhão.

O acusado nega qualquer irregularidade e declara que desconhece totalmente os valores em sua conta. Sua defesa disse que ele chegou a abrir uma conta na Suíça mas desistiu das movimentações devido a grande burocracia.

Azar

Para piorar a situação de Henrique Alves, o seu processo foi para a 10° Vara Federal de Brasília.

Publicidade

O responsável pelas análises será o juiz Vallisney de Souza Oliveira. O juiz é comparado a Sérgio Moro pelas suas determinações e rigidez nos processos.

O juiz Vallisney foi responsável pela decisão que autorizou a Polícia Federal a entrar no Senado e prender policiais legislativos. Eles estavam sendo acusados de atrapalhar as investigações da Lava Jato contra os senadores. Isso deixou, na época, o ex-presidente do Senado Renan Calheiros revoltado. #HenriqueAlves