O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, relator de dois inquéritos envolvendo o senador Aécio Neves no STF, estendeu por mais 60 dias o prazo de investigação a pedido da Procuradoria Geral da União. A decisão de Mendes foi proferida nesta segunda-feira (20). Ele também negou o arquivamento das citações envolvendo o ex-prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.

O inquérito que envolve o nome de Aécio Neves e Eduardo Paes diz respeito a investigação de que parlamentares maquiaram informações da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios, em 2005. A CPI foi presidida pelo senador cassado, Delcídio do Amaral.

Publicidade
Publicidade

Outro inquérito de Aécio

O segundo inquérito que teve o prazo de investigação estendido envolve somente o nome de Aécio Neves. É o famoso caso Furnas. O atual presidente do PSDB é acusado de receber propina do ex-diretor de Furnas, Dimas Toledo, em um esquema de corrupção muito parecido com o que é investigado pela Lava Jato, porém, menos espetaculoso e bem quisto pela mídia. #Dentro da política