O presidente da Câmara dos Deputados, #Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou a forma como a Justiça do Trabalho age no Brasil. Para Maia, leis trabalhistas não deveriam nem existir, pois só "atrapalha" o desenvolvimento brasileiro. Maia defendeu que tem que haver uma mudança nas leis trabalhistas e reclamou sobre o excesso de regras e das relações entre empregado e patrão.

Rodrigo Maia foi questionado sobre o texto com a proposta da reforma, enviado pelo governo, ele cita que tudo o que há no texto está "tímido" demais e avalia que a Câmara deverá ir "um passo além", modificando ainda mais as propostas. O presidente da Câmara cita que mesmo o #Michel Temer se "desagradando", os deputados devem modificar e reavaliar as questões.

Publicidade
Publicidade

O trabalho intermitente é um dos temas que Maia disse que a Câmara deve avançar, enfatizando que não é preciso aceitar tudo o que o governo quer, como o texto da reforma escrito como o governo deseja, mas sim fazer modificações necessárias. Maia mostrou que não gosta da tal proteção ao trabalhador. "Acho que há um consenso da sociedade que esse processo de proteção na verdade gerou desemprego, insegurança e dificuldades para os empregos brasileiros. Então nós precisamos ter a coragem de dizer isso."

Falando em tom crítico, Maia se lembrou dos 14 milhões de brasileiros que se encontram desempregados, e ele cita que o excesso de regras que há no mercado de trabalho fez com que toda essa população perdesse emprego.

O presidente da Câmara acredita que a forma como a Justiça do Trabalho age prejudicou as pessoas, ele deu o exemplo do Rio de Janeiro, que segundo Maia, o setor de serviço e alimentação acabou se deteriorando por causa da Justiça.

Publicidade

Ele cita que temas como a regulamentação da gorjeta foram discutidos justamente devido a atuação, segundo ele, irresponsável, da Justiça do Trabalho.

Rodrigo Maia quer que a Câmara discuta e aprove mais itens do que consta o texto enviado pelo governo, ele diz que a Casa vai "desagradar" Temer, mas acredita que é o melhor a ser feito. Maia defendeu fortemente a reforma nas leis trabalhistas. #Reforma política