O Programa Criança Feliz da primeira-dama, #Marcela Temer, foi barrado na cidade de #São Paulo. O Comas (Conselho Municipal de Assistência Social) não aceitou a entrada do programa na cidade por ele ter falhas de informações. O Conselho queria mais explicações sobre a parte técnica, operacional, metodológica e conceitual desse programa.

Floriano Pesaro, titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, foi o responsável em trazer para a capital paulista o Criança Feliz. Ele reclamou do Comas e disse que é lamentável anseios políticos prejudicarem milhares de crianças. "Essa decisão do Órgão foi política e contra o interesse público. Das 300 cidades que estavam aptas para adquirir o Programa federal, 228 já se inscreveram", disse Pesaro.

Publicidade
Publicidade

A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social disse que vai reverter essa decisão do Comas e não vai deixar que a cidade fique sem o programa. Já é comentado de se fazer a adesão sem o consentimento do órgão. Após ele ser implantado, o Programa voltaria a ser avaliado pelo Conselho. O governo federal ressaltou que o Programa possui todas as informações necessárias e foi muito debatido para que não ocorresse nenhum problema.

Petistas envolvidos

O Conselho Municipal de Assistência Social é formado por nove integrantes da sociedade civil e nove do poder público. Autoridades da prefeitura avisaram que existem muitos representantes que são ligados à gestão do petista e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Eles querem evitar de qualquer jeito que São Paulo receba recursos para a melhoria da cidade.

Publicidade

É de se estranhar que quase todas as cidades aderiram ao Criança Feliz, mas São Paulo fez vista grossa.

Aplausos

Enquanto os petistas, possivelmente, tentam atrapalhar projetos federais para a capital paulita, o prefeito João Doria e sua mulher estiveram no Theatro Municipal de São Paulo, no domingo passado (05). Eles foram muito aplaudidos e assistiram à apresentação da Orquestra Sinfônica Municipal com o Coral Paulistano Mario de Andrade. #Governo