O juiz da 10° Vara Federal de Brasília, Ricardo Soares Leite, recebeu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para um depoimento, nesta terça-feira (14). O petista aproveitou a oportunidade e falou muito sobre as conquistas que teve em seu governo, foi quase uma propaganda política dentro do prédio da #Justiça Federal. Mesmo assim, o juiz deixou #Lula bem tranquilo e ouviu pacientemente as declarações dele.

Em um certo momento, questionado sobre as divisões dos partidos para a nomeação de cargos na Petrobrás, como por exemplo a Diretoria de Abastecimento seria por conta do PP, a Diretoria de Serviços pelo PT e a Diretoria Nacional pelo PMDB, Lula comentou que ao ganhar as eleições é necessário fazer acordos com outros partidos, mesmo contra o gosto, para que as propostas e projetos sejam aprovados. Diante desse acordo, os partidos que participam do governo acabam indicando cargos e não tem como saber tudo que acontece na estatal petrolífera.

Vídeo

O juiz rebateu Lula dizendo que em um vídeo de 2010, ele havia dito que, com seu governo, a Petrobrás se tornou mais transparente. Esse discurso foi feito em uma Plataforma de Angra dos Reis. O juiz perguntou se ele lembrava desse vídeo. Lula tentou desviar da pergunta falando sobre as conquistas da Petrobrás. Mas o juiz voltou a questionar Lula, sobre as participações dele na estatal, sobre por exemplo a indicação de cargos. Mas Lula negou e disse que ele nunca indicava ninguém para os postos.

O juiz sugeriu colocar o vídeo para o petista ver, mas ele recusou rapidamente. Veja o que Lula falou em 2010:

"Silêncio" de Cerveró

Em seu depoimento, Lula negou que tivesse tentado "obstruir a Operação Lava Jato na compra do "silêncio" de Nestor Cerveró, evitando que ele fizesse uma delação premiada. De acordo com o ex-presidente, Delcídio era a pessoa que tinha relação próxima com Cerveró.

Lula afirmou já ter conversado em reuniões com Delcídio, mas que nunca comentou o nome de Cerveró. "Delcídio fala muitas inverdades sobre o processo", disse o petista.