O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela condução das investigações da maior operação de combate à #Corrupção no país, em se tratando de primeira instância, solicitou que uma medida fosse cumprida pela Justiça Federal. Moro pediu que fosse sequestrado um imóvel milionário que é utilizado pelo ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e que é vizinho ao apartamento do petista, na cidade de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, na região metropolitana de São Paulo. Moro comanda a Operação Lava-Jato, a partir das dependências da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná. A Lava-Jato é responsável por uma série de investigações que envolvem políticos, empresários e doleiros, acusados de desvios bilionários nos cofres públicos da Petrobras; a maior estatal brasileira.

Publicidade
Publicidade

Imóvel milionário

O imóvel sequestrado no início de fevereiro por decisão de Sérgio Moro, é considerado é de luxo, avaliado em algo que totaliza aproximadamente R$ 1,5 milhão. É uma cobertura localizada no Edifício Hill House, número 121, em São Bernardo do Campo (SP). O imóvel de 188,9 metros quadrados de área privativa não pertence a #Lula, porém, é atribuída a propriedade a Glaucos da Costamarques, que é primo do amigo do ex-presidente, pecuarista José Carlos Bumlai. De acordo com as investigações da Polícia Federal, através da força-tarefa da Operação Lava-Jato e Ministério Público Federal, a compra do imóvel foi concretizada por meio de corrupção, ou seja, dinheiro público da empreiteira Odebrecht. Os procuradores afirmam que contratos fictícios, supostamente de locação, acabaram levando Lula ao banco dos réus, em uma ação penal da Lava-Jato.

Publicidade

Entretanto, a solicitação do juiz Sérgio Moro, juntamente à terceira Vara Criminal de São Bernardo do Campo, não impede que Lula possa continuar a ocupar o imóvel. Os investigadores sustentam que a cobertura, embora avaliada em R$ 1,5 milhão, foi adquirida pela quantia de R$ 504 mil. O suposto proprietário, Glaucos Costamarques, teria atuado como "testa de ferro" do ex-presidente Lula. #Lava Jato