O juiz federal Sérgio Moro é discreto e responsável pela condução de todo um trabalho sério e árduo em primeira instância, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná, a Operação Lava-Jato. A Lava-Jato é a maior operação de combate à #Corrupção em curso já deflagrada no país e apura escândalos bilionários de desvios dos cofres públicos da maior estatal brasileira; a Petrobras. O juiz paranaense concedeu uma entrevista ao jornal Valor Econômico, na última sexta-feira (11). Ele discerniu sobre diversos temas que remontam à investigação da Lava-Jato e afirmou que nunca reclama do excesso de atribuições. O juiz, já com 44 anos de idade, foi contundente: "Sem dúvida, um trabalho de três anos, é um trabalho cansativo", disse Moro, em relação à condução da Lava-Jato.

Publicidade
Publicidade

Sérgio Moro também foi enfático em alavancar todos os progressos da investigação criminal e o balanço de todo esse período de trabalho, ao afirmar que "mais do que uma investigação criminal, a Lava-Jato transformou-se em um processo de amadurecimento institucional, no qual crimes descobertos que foram praticados por pessoas poderosas, pôde-se mudar de um regime de impunidade para outro regime de responsabilidade, em relação aos atos ilícitos cometidos", declarou o juiz, de modo contundente. Moro assegurou ainda que não vê com clareza qualquer tipo de excessos no decorrer da Operação Lava-Jato, devido à dimensão dos crimes investigados e pelo caráter sistemático deles.

Futuro da Lava Jato

Entretanto, o juiz fez prognósticos do que poderá ser a Lava-Jato no futuro próximo e os riscos inerentes no processo de investigação.

Publicidade

Moro revelou que existe um risco de retrocesso. Segundo o magistrado, "se fosse somente caixa dois, seria algo menos preocupante, porém, se isso se caracterizar em ima anistia geral, há uma grande incógnita, pois, já há muitas investigações em andamento e teremos que ver qual será o desfecho delas", desabafou o juiz paranaense. Por fim, Moro salienta que é difícil ser pedido todo o trabalho desenvolvido até o momento e que já há várias investigações em andamento, presos cumprindo penas, além de centenas de milhões de reais recuperados e restituídos à Petrobras. Moro disse ao ser indagado sobre a relatoria da Lava-Jato no STF, que não cabe comentar sobre a condução dos trabalhos sob relatoria do ministro Edson Fachin. Na próxima semana, a Operação Lava-Jato completará três anos sob a condução dos trabalhos sob a responsabilidade do juiz Sérgio Moro. #SérgioMoro #Lava Jato