O ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, já aceitou ser o candidato do PT na eleição presidencial de 2018. Com essa decisão tomada, o petista já vai começar suas andanças pelo país para solidificar a candidatura e medir a aceitação pelo seu nome entre a população. Lula ainda não lançou sua candidatura oficialmente, a expectativa é que ele o faça em sua viagem pelo Nordeste, que deve ser iniciada no próximo dia 19, quando o ex-presidente deve visitar obras da transposição do Rio São Francisco, feito que ele idealizou e iniciou.

O Partido dos Trabalhadores critica a postura de Michel Temer, acusando o peemedebista de querer "roubar" a paternidade da obra, que começou com Lula e continuou pelo mandato da ex-presidente Dilma Rousseff.

Publicidade
Publicidade

A própria Dilma criticou Temer em uma entrevista na última semana na Suíça ao declarar que o peemedebista não pode querer assumir a responsabilidade pela obra. Tanto Lula, como o PT, em suas páginas oficias do Facebook, passaram a última semana divulgando diversos posts sobre a importância do ex-presidente e do partido na transposição. Michel Temer inaugurou o trecho Eixo Leste da transposição, no município de Monteiro (PB) na última sexta-feira.

Lula só poderá ir visitar as obras no dia 19 porque terá compromissos a cumprir em Brasília essa semana. Já nesta segunda-feira (13), o ex-presidente desembarca na capital federal para participar do 12º Congresso de Trabalhadores Rurais. Na terça-feira (14), Lula irá prestar depoimento na ação em que é acusado de tentar obstruir a Justiça no âmbito da Lava Jato.

Publicidade

Fala, Lula

O ex-presidente afirmou no último sábado (11) que o desemprego, a crise econômica e os "exageros" da Lava Jato criam uma onda "queremista" por sua volta ao cenário presidencial. Segundo o jornal Estadão, no último dia 6 de março, Lula afirmou a deputada Luciana Santos (PCdoB-PE) e ao ex-ministro Orlando Silva (PCdoB-SP) que será mesmo candidato à presidência.

"Para vocês posso dizer: eu serei candidato à Presidência da República", teria dito.

Organização

Agora que já está quase que oficializada a candidatura de Lula em 2018, o ex-presidente já chegou até a iniciar sua estratégia. Também segundo o Estadão, o petista já entrou em contato com o ex-ministro da Fazenda Nelson Barbosa, a Luiz Gonzaga Belluzzo e a professora da USP Laura Carvalho para desenvolver um plano econômico.

Sem plano B

O ex-presidente Lula é o único nome até agora cogitado pelo Partido dos Trabalhadores para a disputa presidencial do próximo ano. Sem um plano B, o PT corre o risco de ficar sem um representante ou ter que correr as pressas caso Lula seja condenado em segunda instância e vire ficha-suja.

Publicidade

Atualmente, o petista responde a cinco inquéritos, sendo três na Lava Jato.

Mesmo com diversas acusações contra seu nome, segundo as últimas pesquisas de intenções de voto, Lula lidera com folga no 1º turno, tendo vida um pouco mais difícil no 2º turno. Um ponto que pode preocupar o petista é sua taxa de rejeição, que é bem maior do que a de seus rivais. #Dentro da política