O ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva dorme com medo de acordar e ver a Polícia Federal batendo à sua porta. Diante desse pavor, sete fontes passaram informações para a Revista Veja comentando sobre a estratégia do petista diante deste fato. Ninguém sabe quando e se vão prendê-lo, mas o Partido dos Trabalhadores, juntamente com Lula, já traçou o roteiro a ser seguido caso seja decretada sua prisão. De acordo com as fontes, Lula está longe de aguardar tudo com passividade. Um roteiro com os mínimos detalhes foi montado e tudo está sincronizado minuto por minuto começando o alarde no momento em que a Polícia chegar a sua residência, em São Bernardo do Campo.

Publicidade
Publicidade

O dia D

Tudo se iniciará com um grupo de mensagens do WhatsApp. Esse grupo é formado por cerca de quarenta petistas, incluindo senadores, o presidente do #PT, Rui Falcão, presidente de movimentos sindicais, como a Centra Única dos Trabalhadores (CUT) e do Movimento Sem Terra (MST). O grupo foi batizado de "Tamoios" se referindo à aliança formada por povos indígenas, no século XVI. Na época, os índios se uniram para combater os portugueses, formando uma grupo de forte resistência e com isso conseguiram inúmeras vitórias.

O objetivo dessa estratégia é demonstrar a força dos petistas contra a Justiça brasileira. O maior desafeto deles é o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato. A ordem, em caso de prisão do maior líder petista, é mostrar ao Brasil e ao mundo, que Lula é um ser "injustiçado".

Publicidade

Lula traidor

Mas Lula ainda tem uma rejeição enorme entre os brasileiros. Na última pesquisa da Ipso, ele aparece com 59% de rejeição dos entrevistados. O Brasil ainda não esqueceu o esquema criminoso e corrupto escancarado no governo dele e da ex-presidente Dilma Rousseff.

Nas manifestações, dessa sexta-feira (31), contra a Reforma da Previdência e a Reforma Trabalhista, o petista foi alvo de protestos também. Ele chegou a ser chamado de traidor por algumas pessoas. Um grupo de manifestantes mascarados conduziam o protesto e gritavam: "Ô ô ô Ò, o Lula é traidor".