A esposa do juiz federal Sérgio Moro, advogada Rosangela Moro, fez revelações importantes durante uma entrevista concedida à imprensa. Rosangela é a defensora do seu marido no processo movido pelo ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, contra o juiz Sérgio Moro, por abuso de autoridade, de acordo com a ação movida pelo petista. #Lula decidiu processar o juiz paranaense por não concordar com as decisões do magistrado em relação aos seus processos. O petista é réu por cinco vezes, sendo duas, através de processos que envolvem a Operação Lava-Jato.

A força-tarefa da Lava-Jato acusa o petista por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Publicidade
Publicidade

Lula também responde a inquéritos fora do âmbito da Lava-Jato, pela prática de tráfico de influência. A Lava-Jato é considerada a maior operação de combate à corrupção atualmente em curso no país e é comandada pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba no estado do Paraná.

Segredo de Justiça

Durante entrevista, a advogada Rosangela Moro foi enfática ao revelar que preferiria que o processo movido por Lula contra o juiz paranaense, esposo de Rosangela, que não estivesse sob segredo de Justiça. A advogada afirmou que chegou a "declinar ao tribunal do segredo de Justiça, pois, ao cliente não interessa o segredo, mas o tribunal acabou optando pela decisão favorável de manutenção do segredo", ressaltou a esposa de Sérgio Moro.

Rosangela Moro também falou sobre a rotina e convivência com o magistrado que é um dos grandes ícones brasileiros no combate à corrupção no país.

Publicidade

Rosangela e Sérgio Moro possuem dois filhos. Rosangela define a Justiça como "equidade". A advogada também é atuante em causas sociais. Ela trabalha com associações voltadas à pessoas com deficiência intelectual desde o ano de 2009 e ressalta firmemente que é preciso implementar uma luta para que haja a todos, o acesso igualitário, em se tratando da Educação pública. A advogada afirma ainda que há a necessidade de que se "quebre um mito", pois, segundo ela, as associações não fazem caridade, mas sim, possuem o trabalho voltado para a defesa dos direitos e pela dignidade das pessoas. #SérgioMoro #Lava Jato