Uma sugestão do deputado federal Carlos Marun (#PMDB-MS) foi recebida com repúdio por vários parlamentares do PMDB. Marun, que é um dos aliados do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, sugeriu que todos os políticos do partido envolvidos na Operação #Lava Jato fossem afastados até o término das investigações. Diante disso, um reunião da executiva nacional do partido, que aconteceria nesta quarta-feira (08), foi cancelada com medo de que houvesse tumultos e uma "tentativa de golpe".

Se a ideia de Marun fosse levada a sério, seriam afastados do PMDB o presidente em exercício, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o ministro Chefe da Casa-Civil do governo Michel Temer, Eliseu Padilha.

Publicidade
Publicidade

Com isso, o novo presidente do partido seria João Arruda (PMDB-PR).

Um dos parlamentares disse que a reunião foi cancelada para evitar brigas e confusões.

Questionado sobre a tentativa de Marun afastar os envolvido na Lava Jato, Jucá respondeu: "Ele pode falar o que quiser, mas tem que ver se ele tem forças para isso".

Senador Valdir Raupp

O senador do PMDB, Valdir Raupp foi denunciado pelo Ministério Público Federal por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. De acordo com os investigadores da Lava Jato, o senador recebeu R$ 500 mil de propina da construtora Queiroz Galvão. O dinheiro foi usado para a campanha do parlamentar de 2010.

O advogado de Raupp, Daniel Gebber, declarou que a contribuição oficial de campanha não pode ser considerada ilícita. Resta aguardar quais serão os procedimentos da Corte em relação a outros casos parecidos.

Publicidade

Eduardo Cunha

A cúpula do PMDB admite que Eduardo Cunha teve ligação com os R$ 4 milhões fornecidos pela Odebrecht. O ministro Eliseu Padilha iria distribuir o dinheiro e Cunha entrou no meio para conseguir uma fatia da propina. Ele atravessou as decisões do partido e cobrou diretamente da Odebrecht uma parte dos R$ 4 milhões. isso fez com que a divisão desse errado, já que Cunha não seria um beneficiário.

Eliseu Padilha precisou intervir para ajeitar a situação. Tudo está sendo esclarecido por delatores da Odebrecht. #confusão