Nesta quarta-feira (22), em Brasília, ocorreu a cerimônia de posse do novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), #Alexandre de Moraes. Mesmo com um clima de festa, uma #confusão surgiu entre o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, e um segurança do #STF.

A confusão aconteceu quando o ministro da Defesa Raul Jungmann resolvei ir embora mais cedo, devido uma reunião. O segurança tentou impedir o ministro de passar pelo cordão de isolamento que dava acesso à fila de cumprimentos. Raul não concordou com o segurança e levantou a corda passando para o outro lado. O segurança não gostou da atitude de Raul e o chamou de mal-educado.

Publicidade
Publicidade

Aloysio Nunes estava do lado de Raul e tomou as dores dele. Começou uma discussão entre o funcionário e Aloysio. O ministro das Relações Exteriores exigiu o nome do segurança para tomar providências contra a sua conduta. "Farei uma reclamação formal ao STF", disse o ministro.

O funcionário não quis se identificar e irritou ainda mais o chefe do Itamaraty.

Irritado

Aloysio decidiu ir embora e não chegou a cumprimentar Alexandre de Moraes. Ele estava muito nervoso com as ofensas trocadas com o funcionário. Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil, ofereceu carona para o chefe do Itamaraty.

Depois de estar mais calmo, a irritação tomou conta de Padilha que não gostou da demora do motorista em ir buscá-lo. "Vou atravessar a Praça dos Três Poderes a pé", disse ele. Aloysio conteve o ministro e pediu para esperar um pouco mais.

Publicidade

Tudo terminou com um pedido de desculpas da presidente do STF, Cármen Lúcia. Ela ligou no outro dia para o ministro das Relações Exteriores e pediu desculpas pela atitude do funcionário.

Festa

Alexandre de Moraes foi bem assediado em sua festa de posse. Várias pessoas o cumprimentaram, até mesmo quem ele nunca havia visto pela frente. Ele tirou várias fotos e recebeu os parabéns dos outros ministros da Corte.

Moraes entrou no lugar do ministro Teori Zavascky que faleceu, em janeiro, vítima de um acidente aéreo. O presidente Michel Temer não pôde comparecer ao jantar.