A crise moral e política que acometeu praticamente todos os partidos brasileiros, muitos dos quais envolvidos em mega escândalos de corrupção, como por exemplo, os casos que envolvem a Operação Lava-Jato, que apura desvios bilionários dos cofres públicos da Petrobras, também ascenderam a "luz amarela" em um dos partidos mais populares do país; o Partido da Social Democracia Brasileira, #PSDB. A crise que se abateu sobre o país inclusive envolvendo figuras chave do PSDB, acarretou o desgaste de políticos tradicionais do partido, como o senador de Minas Gerais Aécio Neves, investigado na Operação Lava-Jato, além do governador do estado de São Paulo Geraldo Alckmin e o senador pelo estado e e-ministro das Relações Exteriores do governo de Michel Temer, José Serra (PSDB-SP).

Publicidade
Publicidade

Nome forte para disputa à Presidência

A cúpula do PSDB passou a ponderar com seriedade sobre um assunto que tem preocupado intensamente a sigla partidária: a escolha de um candidato que forte apelo popular, para a disputa ao cargo de presidente da República, nas eleições presidenciais de 2018. A discussão que anteriormente estava somente sendo feita nos bastidores, passou a ter ares públicos. A possibilidade de que o prefeito de São Paulo, João Doria, seja a cada dia mais citado como um grande nome para a Presidência, levou o partido a estender as discussões sobre essa probabilidade.

Parlamentares e dirigentes do PSDB, já admitem que a menção ao nome de Doria não é mais uma "fofoca", mas sim, uma opção séria. O prefeito paulistano goza de grande popularidade, já que em seus primeiros meses de governo, adotou projetos bem vistos aos olhos da população de São Paulo, como por exemplo, o programa "Cidade Linda" ,que combate as pichações e o "Corujão da Saúde", que praticamente zerou as filas para consultas na rede pública municipal.

Publicidade

Os tucanos entendem que a Lava-Jato é extremamente importante na corrida eleitoral e até mesmo vista como fator de instabilidade, já que pode atingir a nomes tradicionais do partido. O prefeito de São Paulo, então, passou a ser visto como viável para a disputa.

#Eleições 2018 #Lava Jato