A Operação Carne Fraca, deflagrada nesta sexta-feira (17), é considerada a maior operação da história da #Polícia Federal. Ela desarticulou um esquema de pagamento de propina que envolvia empresários do setor alimentício e funcionários do Ministério da Agricultura.

Este esquema fraudulento tinha como objetivo burlar a fiscalização e liberar licenças que facilitariam a comercialização de produtos estragados e ainda há indícios de que papelão estava sendo misturado à carne moída para aumentar seu volume.

Os alvos dessa operação foram frigoríficos de pequeno e médio porte, além de grandes empresas, como os grupos BRF e JBS.

Publicidade
Publicidade

O BRF é dono de marcas como Sadia e Perdigão, enquanto a JBS é proprietária da Friboi, Seara e Swift. O governo alertou que não há motivo para pânico, pois não são todas as empresas do país que têm envolvimento com esse ato criminoso. Além disso, nem todos os lotes produzidos pelas empresas envolvidas estão irregulares.

A Polícia Federal aponta que as empresas investigadas realizaram grandes doações a políticos nas eleições de 2014, onde o dinheiro era repassado aos partidos, que encaminhavam aos candidatos. O PT foi o partido mais beneficiado, tendo recebido R$ 60,7 milhões. Em seguida aparece o PMDB, que recebeu R$ 59,1 milhões, e PSDB, que recebeu R$ 58,1 milhões. No total, 25 partidos receberam doações dessas empresas em 2014, que somam R$ 314 milhões.

Entre as irregularidades encontradas constatou-se que as empresas investigadas estavam comercializando carne estragada e contaminada com a bactéria salmonela.

Publicidade

Além disso, eram utilizados produtos químicos cancerígenos para mascarar o estado de degradação dos alimentos.

Uma veterinária da Peccin Industrial Ltda., uma das empresas envolvidas com o esquema, relata que carnes estragadas eram utilizadas na composição de salsichas e linguiças. Ela disse ainda que o produto utilizado para mascarar o estado de decomposição das carnes era o ácido sórbico, uma substância altamente cancerígena.

A Operação #Carne Fraca repercutiu mundo afora, já que a comercialização dos produtos não se restringia apenas ao mercado brasileiro, pois algumas das empresas investigadas exportavam seus produtos para a Europa. #PMDB