O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações no âmbito da Operação #Lava Jato, ganhou grande notoriedade por ter colocado na cadeia grandes nomes da sociedade, como políticos e empresários. Recentemente, a revista "Veja" publicou um artigo na qual o juiz rebate críticas feitas sobre sua conduta na operação.

Para Sérgio Moro, as críticas que são ditas a respeito da Lava Jato, não se baseiam por causa do tempo de prisões, as colaborações ou a qualidade da operação, mas sim por se tratar de presos que são considerados "ilustres". O juiz quis dizer que a forma como os presos provisórios são julgados, não é a questão: "O problema não são as 79 prisões ou os atualmente sete presos sem julgamento, mas sim que se trata de presos ilustres."

Como a Lava Jato lida com presos como ex-governador, ex-presidente da Câmara dos Deputados, ex-ministro da Fazenda, e tantos outros empresários, é o que "incomoda" e o que atribuí as críticas.

Publicidade
Publicidade

Em comparação com a Itália, o juiz federal cita que se formos comparar, o país europeu tem um número alto de prisões preventivas perto do Brasil. Moro se lembrou da Operação Mãos Limpas, que "mexeu" com a Itália e causou muitos rumores. Em 1992 a 1994, os italianos prenderam cerca de 800 pessoas em um espaço curto de tempo.

O magistrado enfatiza que há pessoas presas desde março de 2014, mas mesmo assim já foi feito até julgamentos de apelação contra a sentença estabelecida.

Ex-presidente da Câmara preso

#Eduardo Cunha é um dos presos julgados por Sérgio Moro, ele se encontra no Complexo Médico Penal da cidade de Pinhais, Paraná. Cunha, uma preso 'ilustre', não se mostra uma pessoa educada na cadeia, ele já chegou a pedir para os carcereiros se dirigirem a palavra com ele apenas em casos de necessidade absoluta.

Publicidade

Considerado o "pior preso da Lava Jato", o deputado cassado começa cedo reclamando do pão do café da manhã, ele diz que o alimento está amassado ou então, que o pão francês é velho. No almoço, reclama novamente da comida, chega a afirmar que não irá comer, mas depois de alguns instantes muda de ideia. #SérgioMoro