O #youtuber Rodrigo Cademartori, que faz vídeos para a rede social YouTube, foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por ter passado informações falsas sobre o procurador-geral da República, #Rodrigo Janot. Cademartori teria dito que Janot se encontrou com o senador peemedebista Romero Jucá para tratar de assuntos relacionados ao presidente da República, Michel Temer.

No canal do YouTube, o blogueiro é conhecido como Rodrigo Pilha. Ele enfatizou que Rodrigo Janot foi ao encontro com Jucá para buscar formas de preservar a imagem de Michel Temer, escolhendo os melhores caminhos para não "manchar" o presidente da República.

Publicidade
Publicidade

Para o Ministério Público Federal, o youtuber afirmou que as informações que ele passou foram dadas por uma suposta "amiga" de Rodrigo Janot. O blogueiro não revelou a identidade dessa "amiga",

As denúncias contra Rodrigo Pilha são de injúria e calúnia, em seus vídeos do canal ele teria chamado o procurador de "rato". Se for condenado, sua sentença poderá ser cumprida por volta de dois anos de cadeia.

O MPF avaliou que o blogueiro ofendeu a dignidade de Janot, Rodrigo Pilha citou em um vídeo que iria chegar até um restaurante no qual estaria o procurador, mas teria dito que não foi possível chegar a tempo. Com isso, soltou a frase: “Infelizmente, ratos, muitas vezes, conseguem escapar, de uma maneira rápida e ligeira”.

O vídeo que acusou o blogueiro foi publicado no dia 12 de fevereiro, cerca de 85 mil pessoas visualizaram.

Publicidade

Rodrigo Janot

O procurador da República, Rodrigo Janot, encaminhou para o Supremo Tribunal Federal (STF), denúncias envolvendo cerca de 83 políticos. As delações de executivos e ex-executivos da empreiteira #Odebrecht provou por volta de 320 inquéritos e mexeu com vários partidos, incluindo a base do governo federal.

O procurador foi atribuído como o "homem que vai estremecer Brasília", as investigações da operação Lava Jato abriram espaço para que políticos e grandes empresários sejam investigados, a maioria por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.