Nesta segunda-feira (24), o juiz federal Sérgio Moro atendeu ao pedido da Polícia Federal (PF) e decidiu adiar o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O motivo do pedido da PF foi o tempo curto para se estabelecer a segurança, já que vários petistas e líderes de esquerda tentaram promover uma verdadeira guerra contra o juiz. Agora, está tudo certo para ser no dia 10 de maio. A Justiça, depois, negou que o adiamento seria por causa da segurança.

O PT acendeu um sinal de alerta. Vários aliados de #Lula acreditam numa estratégia de #Moro para prender o ex-presidente. O partido está apreensivo e sabe que é uma questão de tempo a prisão de Lula.

Publicidade
Publicidade

Após as delações do ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro e do ex-ministro da gestão Lula e da presidente cassada Dilma Rousseff, Antonio Palocci, o petista estaria com um pé dentro da cadeia.

Candidatura de Lula

Os líderes petistas não têm nenhum candidato que possa substituir Lula para as eleições de 2018. Em razão disso, eles lutam para que o ex-presidente não fique inelegível e possa concorrer à Presidência da República. A cúpula do partido "jorra" várias informações de que o petista está sendo perseguido para tentar mexer com a ira dos militantes e simpatizantes do PT.

O senador Humberto Costa enfatizou que Lula é vítima do Ministério Público, da grande mídia e dos que votaram a favor do impeachment de Dilma Rousseff. Costa, porém, admite que o ex-presidente pode não conseguir se candidatar, mas que o seu apoio para qualquer outro candidato dará a vitória para ele.

Publicidade

Jaques Wagner, ex-ministro e ex-governador, ressaltou que estão fazendo uma guerra contra Lula. "Querem acabar com ele". Na visão do ex-ministro, Lula conseguirá sair dessas acusações e será o próximo presidente.

Vale ressaltar que tanto Jaques Wagner quanto Humberto Costa, os dois estão sendo investigados na Operação Lava Jato.

Ex-presidente ignora

O ex-presidente Lula falou sobre o adiamento de seu depoimento: "Não é problema meu".

O petista está em Brasília onde participará de um seminário com o tema "Estratégias para a economia brasileira". Lula já havia admitido, em entrevista numa rádio, que estava muito ansioso para estar frente a frente com o magistrado.

Lula disse que quer ouvir quais são os seus crimes e ver as provas que eles têm contra ele. A vida do petista tem se tornado uma tensão. Pessoas próximas ao petista disseram que ele dorme imaginando que ao acordar poderá ser surpreendido com a Polícia Federal batendo à sua porta.