Com a proximidade de praticamente um mês para que o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva, venha a depor ao juiz Sérgio Moro, sua defesa, através de um de seus principais advogados, Cristiano Zanin Martins, se manifestou sobre um suposto plano. Lula se tornou penta-réu em processos que envolvem, inclusive, prática de corrupção, tráfico de influência e lavagem de dinheiro. Os crimes atribuídos ao ex-presidente o tornaram réu por cinco vezes em operações diferentes da Polícia Federal, destacando-se que ele tornou-se réu duas vezes no âmbito da Operação Lava-Jato.

Além desta que é reconhecida como a maior operação de combate à corrupção de que se tem notícia na história do país, Lula também enfrenta ações penais nas operações Zelotes e Janus.

Publicidade
Publicidade

A preocupação da defesa do ex-mandatário possibilitou que um órgão de imprensa escrita publicasse que haveria um plano "miraculoso" traçado especialmente para a data de 03 de maio próximo, em que Lula deverá estar em depoimento, frente a frente com o juiz responsável pela Lava-Jato, Sérgio Moro.

A denúncia publicada pela revista Veja, afirma que através de um grupo do aplicativo Whatsapp, o advogado Cristiano Zanin, teria cerca de 40 pessoas que seriam avisadas de modo instantâneo em que caso de ser decretada a prisão conta o ex-presidente. O grupo criado no aplicativo foi denominado de "Tamoios". De acordo com a reportagem da revista, dentre essas 40 pessoas presentes, estariam o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o comando do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), além do próprio presidente do PT, Rui Falcão.

Publicidade

Defesa nega intenção na criação de plano

O advogado Cristiano Zanin Martins considerou a reportagem da revista Veja, como "mentirosa" Ele também tentou inocentar Lula ao afirmar que os 103 depoimentos já tomados pela força-tarefa da Lava-Jato seriam evidência de qe Lula não praticou crimes. Com o passar dos dias e com a proximidade da data de depoimento de Lula, sindicalistas e integrantes de partidos esquerdistas, tentaram, até mesmo "ameaçar" de ocasionar um grande tumulto, se Lula for preso pelo juiz Sérgio Moro.

Pode-se mencionar um vídeo gravado pelo presidente do PCO (Partido da Causa Operária), Rui Costa Pimenta, que chegou a afirmar que levaria milhares de militantes para protegerem Lula, além de se dirigir ao juiz Sérgio Moro, chamando-o de "vigarista". Nas redes sociais, as palavras do dirigente sindical repercutiram muito mal, o que evidenciou grande "desespero" em razão de uma possível prisão de Lula. #SérgioMoro #Lava Jato