Depois de ver seus projetos de reforma abertamente criticados por #Renan Calheiros, líder do #PMDB no Senado, #Michel Temer decidiu romper a aliança com o colega de partido. A decisão do presidente veio após um vídeo postado por Calheiros na internet onde ele atacava as polêmicas medidas apresentadas e defendidas por Temer.

“Corte de investimento público, remuneração da folha, aumento de imposto, terceirização geral. Tudo isso junto só vai drenar as energias de uma economia que não consegue se levantar”, disse Renan no vídeo postado em sua página oficial no Facebook. “O governo precisa conversar antes”, completou o senador, que liderou o movimento contrário à proposta de terceirização sancionada por Temer nesta sexta-feira, dia 31.

Publicidade
Publicidade

Segundo informações da coluna Painel, da Folha de S. Paulo, o governo não espera mais nenhum apoio de Renan no Senado. De acordo com fontes ligadas ao governo, Temer e seus aliados acreditam que Renan busca se alinhar à oposição para garantir apoio nas próximas eleições de Alagoas, de onde é natural, e para se defender de possíveis novos estragos que possam ser causados pelos desdobramentos da Operação Lava Jato.