O juiz federal Sérgio #Moro, responsável pela Operação Lava Jato, decidiu não solicitar à Petrobrás a liberação de milhares de documentos pedidos pelos advogados do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva. O juiz autorizou que o petista, se quiser analisar alguma informação de documentos, que vá diretamente à estatal petrolífera e consulte os documentos lá mesmo onde eles estão.

De acordo com o magistrado, os pedidos feitos pelos advogados são de duvidosa relevância. "Acho estranho a defesa pedir tantos documentos ligados à corrupção, sendo que eles já deixaram certo que os documentos não tem nenhuma relevância no processo", afirmou Moro.

Publicidade
Publicidade

O ex-presidente é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Segundo as acusações do Ministério Público Federal (MPF), Lula foi beneficiado com R$ 3,7 milhões de propina da Petrobrás. A defesa do petista nega essa propina.

Denúncia

Conforme a denúncia do MPF, Lula reformou seu triplex, situado em Guarujá, litoral de São Paulo, com dinheiro pago para ele pela Construtora OAS, cujo presidente era Léo Pinheiro. Também está sendo investigado, o armazenamento de bens do acervo presidencial, de 2011 a 2016.

O juiz Sérgio Moro comentou que a defesa do ex-presidente quer os documentos das operações de seguro, contratos de todos os valores imobiliários, ações, debêntures e dívidas de emissão da Petrobrás e suas subsidiárias, emitidos desde janeiro de 2003.

Moro falou que, a impressão que se tem é que a defesa do petista alega que as entidades de seguro ou resseguro, não detectaram nenhum caso de corrupção dentro da empresa.

Publicidade

Para o magistrado, eles podem afirmar isso sem precisar requisitar cópias de milhares de documentos. "Se as entidades não notaram crime de corrupção, isso não quer dizer que os crimes não aconteceram, tudo pode ter sido feito com o máximo de segredo", ressaltou o juiz.

Autorização

Sérgio Moro autorizou os advogados de Lula a fazerem contatos com a Petrobrás e irem pessoalmente consultar documentos na estatal, sem que seja repassado para eles qualquer cópia. "Fica certo da Petrobrás disponibilizar, em sua própria sede os documentos para análise dos advogados", autorizou Moro.

No dia 03 de maio, Lula estará prestando depoimento ao juiz Sérgio Moro e dará explicações sobre as acusações que ele tem recebido do Ministério Público. O petista revelou estar ansioso por esse momento. Moro está juntando todas as provas para reforçar a denúncia contra Lula.