O pleito de 2018 promete ser um dos mais polêmicos e disputados da história. Não é para menos. O Brasil vive uma fase única em sua trajetória. O impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), e o que se prosseguiu após ele, certamente, devem acirrar os ânimos.

Neste domingo (30), o site da revista Veja divulgou a primeira pesquisa para a corrida à Presidência da República no próximo ano após a deleção do “Fim do Mundo” da Odebrecht ser feita. A nova fase da Operação Lava Jato cita ainda mais políticos. A pesquisa foi feita pelo Instituto Datafolha. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo sendo citado muitas vezes, aparece em primeiro lugar com 30% dos votos.

Publicidade
Publicidade

O petista já começa a subir e aumenta a diferença em relação aos adversários.

Maria Silva, da Rede, pela falta de postura diante de alguns acontecimentos, tem sumido das pesquisas. Ela e o deputado federal Jair Bolsonaro, do PSC do Rio de Janeiro, aparecem empatados tecnicamente. Ele, que é da extrema direita, seguindo o que se vê no cenário internacional, entre uma pesquisa e outra quase dobrou suas intenções de votos, disparando de 9% para 15% ou de 8% para 14% dependendo de quem será o concorrente pelo PSDB, que está indefinido. Na pesquisa, o Datafolha usa os nomes do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do senador Aécio Neves como os possíveis concorrentes pelo partido.

Moro venceria Lula

Já em segundo turno, apenas dois nomes seriam capazes de vencer o viúvo da ex-primeira-dama Marisa Letícia.

Publicidade

São eles Marina Silva e o juiz federal Sérgio Moro, que comanda a Lava Jato e não está filiado a qualquer partido político.

Moro já disse que não pretende seguir carreira política. Por fora, sem aparecer em qualquer pesquisa, já se fala até que segundo o exemplo de João Dória, algum partido poderia tentar lançar o apresentador Luciano Huck como presidente.

Rejeição

A pesquisa ainda traz dados importantes sobre o atual cenário político, especialmente sobre a aprovação do governo do presidente Michel Temer, do PMDB. Ele é o que mais sofre com rejeição. O peemedebista tem 64% de rejeição.

Em segundo lugar aparece o próprio Lula, que lidera a pesquisa eleitoral para o governo federal, tendo 45% de rejeição. Isso significa que 45% dos eleitores não votariam nele de jeito nenhum. Já o prefeito de São Paulo, João Dória, tem apenas 16% de rejeição. Ele, que era improvável para ganhar a prefeitura da maior cidade do país, já passa a ser um dos possíveis candidatos pelo PSDB, sem nenhum nome muito forte. #SérgioMoro #eleicoes2018 #JairBolsonaro