O apresentador veterano #Boris Casoy fez uma revelação surpreendente enquanto estava sendo entrevistado pelo canal do Youtube de Marcelo Bonfá, no programa "Pingue-Pongue com Bonfá". Um dos apresentadores mais respeitados e antigos da televisão brasileira disse o que motivou sua saída do "Jornal da #Record", em 2005.

Depois de comandar durante oito anos o programa televisivo, Boris conta que um contratempo envolvendo #José Dirceu e Marcelo Crivella, foram a "gota d'água" para a despedida na emissora, que atualmente é comandada por Edir Macedo.

Na época em que Crivella assumia o controle, Boris Casoy recebeu uma ligação afirmando que iriam mudar a estrutura do jornal, que os superiores gostariam de fazer mudanças em todo o programa.

Publicidade
Publicidade

O então bispo Crivella, entrou em contato com Casoy e afirmou que teria conversado com o então ministro Chefe da Casa Civil do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, e atualmente preso, José Dirceu.

Dirceu teria feito uma reclamação para Crivella, avaliando que na última edição do Jornal, Boris só fez comentários "ofensivos" ao ministro, atacando-o. O bispo contou:"Estive hoje com o ministro José Dirceu e ele me disse que só no jornal de ontem você fez cinco ataques a ele". Casoy respondeu: "Olha eu não fiz ataque nenhum". Mas Crivella foi enfático e mostrou quem realmente "comandava" a emissora: "Eles são o poder e nós temos o interesse". Crivella não queria ter nenhum tipo de "problema" com políticos que estariam no poder.

Aparentemente irritado, Casoy disse que desligou o telefone e foi até a direção da Rede Record para contar o fato inusitado.

Publicidade

Mas a conversa com a direção não rendeu bons frutos e o jornalista teve o seu contrato rompido.

Como uma forma de "abafar" o caso, a emissora de Macedo justificou na época que a saída de Casoy seria para "mudar o formato do programa", nisso contrataram os jornalistas Adriana Araújo e Celso Freitas, o programa ficou muito parecido com o famoso "Jornal Nacional" da Rede Globo.

O ex-ministro José Dirceu se encontra preso desde agosto de 2015 por conta das investigações da Operação Lava Jato, que o condenaram por corrupção e lavagem de dinheiro.