O ex-apresentador da Record e deputado federal #Celso Russomanno, foi notificado que seu nome é mais um, entre vários políticos citados em delações premidas de executivos e ex-executivos da empreiteira #Odebrecht. Russomanno é acusado de receber R$ 50 mil da Odebrecht para sua campanha eleitoral de 2010. O inquérito foi autorizado pelo ministro relator do processos da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin.

Os delatores Carlos Armando Paschoal e Benedicto Barbosa da Silva Júnior disseram que R$ 50 mil foram entregues para o deputado e seu nome estaria no Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, o famoso "departamento de propinas".

Publicidade
Publicidade

No sistema corrupto, o apelido "itacaré" se referia a Celso Russomanno.

Mostrando-se "surpreso" com as acusações, o deputado federal escreveu uma nota citando que jornalistas e qualquer outra pessoa poderão ter acesso imediatamente a sua conta bancária juntamente com sua conta fiscal e telefônica, ele "convoca" representantes da imprensa. Celso disse que tudo estará devidamente disponibilizado para que investiguem, pois, segundo o deputado, "falseiam com a verdade."

Russomanno conta que os delatores "erraram" ao darem essas afirmações, pois como foi dito, na época ele não estava se candidatando para deputado federal, mas para governador, algo que os delatores poderiam ter se confundido ao afirmarem. Celso agora disse que também quer saber quem recebeu esse valor e que os delatores "deveriam ter falado", pois "essa pessoa seria responsabilizada civil e criminalmente."

Celso ainda "aperta a mesma tecla" e diz que nunca recebeu doação de nenhum valor da empreiteira Odebrecht para uso destinado a sua vida pública ou privada.

Publicidade

Ele diz que sua mente está tranquila com essa situação. Vários outros políticos também se defenderam sobre a lista do ministro Fachin, Aécio Neves, por exemplo, disse que é inocente e que os delatores estariam mentido sobre eventuais propinas recebidas através da Odebrecht.

Um fato criticado por Celso Russomanno, foi que lista não seria sigilosa e prejudicou os políticos a se defenderem antecipadamente. Os advogados de defesa do ex-apresentador contam que não fazem ideia da origem desse dinheiro e que todas as contas de Celso foram devidamente comprovadas e aprovadas pela Justiça Eleitoral.

Celso Russomanno ganhou notoriedade após apresentar o programa "Patrulha do Consumidor" na qual defendia os direitos dos consumidores em transmissão pelo canal Rede Record, agora ele é um dos políticos que poderá ser condenado por corrupção. #Edson Fachin