As perspectivas para os gaúchos nas eleições estaduais de 2018 não são boas. A avaliação é de #adeli sell, vereador do #PT de Porto Alegre e tradicional membro do partido. Faltando menos de um ano e meio para o pleito, o petista vê um cenário bastante indefinido para o Palácio Piratini.

Historicamente, o Rio Grande do Sul não tem a tradição de reeleger o seu atual governador. José Ivo Sartori, do PMDB, ainda não se manifestou sobre uma possível tentativa de reeleição e segue focado em resolver os problemas econômicos do estado. Para Adeli, a oposição terá que se unir para evitar uma "tragédia" aos gaúchos.

"O cenário estadual é nebuloso ainda, pois a oposição pode mais uma vez se dividir, o que seria uma tragédia para o estado.

Publicidade
Publicidade

Tragédia maior que essa pela qual já estamos vivendo na atualidade. Uma Frente Ampla desenvolvimentista seria o melhor caminho", diz Adeli.

Ele critica o PSOL por insistentemente querer lançar candidato e ainda não sabe como vai se portar o próprio partido, ou seja, se o PT vai lançar candidatura própria ou se aliar a um campo de centro-esquerda, como o PDT.

"O sectarismo do PSOL de um lado, lançando candidato próprio, pode desbordar de cara a tentativa. Nem sabemos se o PT terá ou não a grandeza de se aliançar ao centro, tipo PDT, para juntos ganhar o governo e fazer a roda da história andar para frente", avaliou.

Em 2014, o PT perdeu o comando do governo gaúcho em uma surpreendente vitória do peemedebista José Ivo Sartori, que largou mal nas pesquisas, mas cresceu e venceu Tarso Genro no segundo turno.

Publicidade