O prefeito da cidade do Rio de Janeiro, #Marcelo Crivella (PRB) decidiu blindar escolas que ficam em zonas de risco da capital carioca. A decisão do ex-senador foi tomada após a trágica morte de uma adolescente de treze anos, na última quinta-feira, 30.

A menina estava dentro da escola quando foi alvejada por uma bala perdida e não resistiu ao ferimento. A notícia foi divulgada pela Band News FM, que afirma que Crivella quer que as paredes das escolas das áreas mais violentas do Rio, recebam uma argamassa especial capaz de blindá-las, evitando que tiros atravessem o local e fira alunos e funcionários das escolas.

A família da adolescente quer processar o Estado, uma vez que a vítima morreu enquanto deveria estar em #Segurança na unidade de ensino.

Publicidade
Publicidade

O governo carioca ofereceu ajuda psicológica e jurídica para os familiares da jovem. Marcelo Crivella compareceu ao enterro da jovem e conversou com os familiares da menina.

Políticas que visam transformar a cidade do Rio de Janeiro

Após o sepultamento da menina, Crivella disse que tem uma reunião marcada com autoridades da segurança, como o secretário de segurança, representantes do Exército, Polícia Militar, Guarda Municipal, Marinha, Aeronáutica, Governo estadual e outros responsáveis pela ordem pública, pois precisam criar um plano de segurança urgente para o Rio, uma vez que não se pode admitir tiroteios próximos de escolas.

O prefeito criticou a ação da PM, pois foram policiais que desencadearam um tiroteio do lado de fora da escola onde a vítima estudava. Ele deixou claro que, quando há inocentes próximos do local onde ocorrem operações policiais, não se pode disparar fuzis, pois se coloca em risco a vida de inúmeras pessoas.

Publicidade

O projeto para blindar escolas em zonas de risco do Rio, é de 2007, criado pelo próprio prefeito, quando ainda era senador.

Além das políticas para a segurança, Crivella tenta reerguer a saúde pública do Rio, que está falida há anos. O prefeito busca parceria com o governo do estado, a fim de diminuir filas e contratar mais médicos para atender nas UPAs (Unidade de Pronto Atendimento). Em parceria com o governo de Pezão, Crivella quer estender o Metrô até o bairro do Recreio. As obras devem começar no segundo semestre desse ano e beneficiarão milhares de pessoas que dependem do transporte público na cidade. #Violência