A ex-presidente da República, #Dilma Rousseff, concedeu entrevista publicada nesta terça-feira (04) à imprensa, em que ela tenta se defender de acusações de envolvimento nas investigações da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal. A Lava-Jato é a maior operação de combate à corrupção em curso, atualmente, no Brasil e é conduzida em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná. Dilma tentou se desvencilhar das acusações e rebater trechos do conteúdo do acordo de colaboração premiada do ex-dono da maior empreiteira do país, Marcelo #Odebrecht.

Dilma 'desdenha' de delação da Odebrecht

A ex-presidente da República se referiu de modo pejorativo à delação premiada de Marcelo Odebrecht, insinuando que ele teria tido todo tipo de pressões para que implementasse um acordo de colaboração junto à força-tarefa da Operação Lava-Jato.

Publicidade
Publicidade

Segundo Dilma Rousseff, os depoimentos dados por Marcelo junto à Justiça Federal e ao Ministério Público, "são uma coisa absolutamente ridícula", disse na entrevista a ex-presidente, sem explicar porque o Supremo Tribunal Federal (STF), de posse de evidências, homologou os acordos de delação premiada de Marcelo e vários ex-executivos da empreiteira Odebrecht.

A ex-mandatária foi ainda mais longe sobre as investigações e os acordos de colaboração da construtora e do ex-dono Marcelo Odebrecht: "não me venham com uma delaçãozinha de alguém que foi submetido a uma variante de tortura, ou melhor, uma coação", ironizou Dilma. Marcelo Odebrecht afirmou em delação, que advertiu Dilma Rousseff, sobre as investigações da Operação Lava-Jato, que segundo ele, "a campanha poderia ser contaminada, já que havia feito pagamentos ao marqueteiro João Santana no exterior", afirmou.

Publicidade

A resposta de Dilma a respeito das declarações de Marcelo Odebrecht, foi "inusitada".

Dilma se referiu ao episódio dizendo que "após um encontro com o presidente mexicano, ela já estava saindo para o aeroporto, após um almoço e estava atrasada, precisando ir ao banheiro e fez o que tinha que fazer. Assim que voltou, viu que lá estava Marcelo numa sala reservada, não entendeu nada do que ele dizia e afirmou estar com uma pressa louca", disse a ex-presidente. #Lava Jato