A ex-presidente #Dilma Rousseff deu um discurso para uma plateia ilustre em Harvard, no seminário Brazil Conference. O tema de sua palestra era sobre um dos assuntos que não saem de seu dia a dia: o "golpe". Ela aproveitou a oportunidade e também falou sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sobre democracia, eleições, crises, sobre o governo do presidente Michel Temer e sobre a Operação Lava Jato.

A presidente cassada revelou que tem medo do ex-presidente Lula ser preso. De acordo com ela, Lula é o candidato mais próximo de vencer as eleições, em 2018, já que na última pesquisa ele aparece com 38% da preferências dos entrevistados.

Publicidade
Publicidade

Porém, Dilma não percebeu talvez a enorme rejeição do petista, que está em torno de 59%.

Entre vários outros assuntos, a petista também comentou sobre a terceirização e o corte de gastos do presidente Temer. Dilma também afirmou que o seu governo ajudou nas investigações para punir os corruptos.

Esquerda ou direita

Já no finalzinho da palestra, a ex-presidente se perdeu em um simples assunto: esquerda e direita. Ela disse que as pessoas não perceberam que o centro foi hegemonizado pela direita mais conservadora e corrupta. Depois ela foi tentar explicar: "Ninguém é de direita ou esquerda, mas tem gente sim de direita ou esquerda, só que a maioria do povo não é isso. Mas tem gente de direita e tem gente de esquerda e precisa do centro", disse ela toda enrolada. Veja o #Vídeo:

No vídeo, pode-se ver que Dilma pediu para responder alguma pergunta sobre corrupção, ela chegou até se levantar.

Publicidade

Quando questionaram ela sobre o juiz Sérgio Moro, ela preferiu não responder nada sobre o magistrado.

Na plateia, estavam presentes Jorge Paulo Lemann, o ex-ministro e advogado de Dilma, José Eduardo Cardozo, o cantor Gilberto Gil, Eduardo Suplicy e o apresentador Luciano Huck.

Após o término de seu discurso, Gilberto Gil e Suplicy levantaram e tentaram puxar as palmas para a ex-presidente, o que foi aceito por apenas algumas pessoas.

Erros

Em relação aos seus erros, Dilma disse que cometeu várias desonerações e isso não foi bom. Segundo ela, as empresas lucraram muito e não repassaram para investimentos o que ganharam.

Dilma também reclamou dos organizadores do evento pela falta de tempo que ela teve. Ela queria ter falado mais. Mas se via que a plateia já estava um pouco cansada.

O juiz federal Sérgio Moro também é um dos convidados a falar em Harvard. #EUA