O prefeito de São Paulo, João #Doria, foi convidado para entrevista nesta sexta-feira à noite, no programa Mariana Godoy Entrevista, da Rede TV. Doria enumerou feitos da sua gestão no comando da maior cidade do país, ao responder perguntas dos apresentadores e de cidadãos comuns. O prefeito afirmou que após "zerar" as filas de consultas do programa "Corujão da Saúde" pretende implementar o "Corujão da Cirurgia". Respondendo a uma pergunta de um internauta, Doria, reconheceu que é muito grave o problema da cracolândia no centro da capital.Durante a entrevista realizada nos estúdios da emissora em São Paulo, Doria foi contundente sobre o resultado dos protestos organizados pelas centrais sindicais, ao afirmar que foram um "fiasco".

Publicidade
Publicidade

Segundo o prefeito paulistano, há uma clara diferença entre "greve" e "manifestação". Segundo ele, a chamada "greve geral", não conseguiu a adesão da população, principalmente, devido à imposição dos sindicatos em relação a impossibilitar o direito das pessoas de "ir" e "vir", além de ter sido considerada uma greve que atendia aos interesses sindicais, como por exemplo o receio por parte das centrais de perder recursos financeiros preciosos como o imposto sindical obrigatório, que deixa de existir, a partir da aprovação na Câmara Federal, da Reforma Trabalhista.

Ataques ao PT e elogios a Sérgio Moro

O prefeito, ainda se dirigindo sobre a situação da greve de sexta-feira, afirmou que "o que aconteceu nas cidades brasileiras, foi uma agressão generalizada ao país". João Doria aproveitou e criticou enfaticamente a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, ao dizer que "continua achando que Dilma foi um horror, um desastre na vida do país. Transparência absoluta, pois não sou do PT, não sou #Lula e nem Zé Dirceu", em alusão aos petistas que são réus e alvos de processos de corrupção no âmbito da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal.

Publicidade

O prefeito de São Paulo enalteceu o juiz Sérgio Moro com elogio e admiração, classificando-o como um verdadeiro exemplo ao país. Dora afirmou que Moro "é o herói do Brasil, que se não fosse ele, o país estaria ainda sendo governado e enganado por Lula, Dilma e PT", afirmou, de modo contundente. Ao ser indagado sobre as reformas trabalhista e previdenciária propostas pelo governo do presidente Michel Temer, o prefeito concordou que as reformas são necessárias para o país e que já foram feitas várias concessões, a partir do texto original, acarretando que precisam ser aprovadas para que o Brasil volte a ter credibilidade e crescimento.

#Lava Jato