O prefeito de São Paulo, João Doria, não quer mais ouvir entre funcionários da prefeitura tratamentos formais, como por exemplo, Vossa Excelência e Ilustríssimo. De acordo com #Doria, a forma de se comunicar desse jeito acaba colocando uma certa distância entre os cidadãos e os funcionários.

Doria assinou a portaria e a partir desta quinta-feira (06), todos aqueles que exercem cargos na prefeitura não podem mais usar esses termos ao se dirigir para alguém.

A referência a qualquer cidadão ou funcionário público, independente da hierarquia funcional ou social, privilégio ou distinção, deve ser sempre feito com o mesmo respeito, mediante às palavras "Senhor" e "Senhora", seguido do cargo que a pessoa ocupa ou do nome da pessoa a que se dirige, diz o texto publicado no Diário Oficial da cidade.

Publicidade
Publicidade

Eliminando barreiras

Segundo Doria, esse procedimento irá eliminar barreiras que criem distanciamento. "Nossa gestão tem o dever de desburocratizar atos e os funcionários tem a obrigação de servir ao povo. Vamos aproximar a sociedade dos empregados públicos", disse o tucano.

O prefeito ressaltou que todas as pessoas devem ser tratadas iguais perante a Lei e por isso o motivo de simplificar essa comunicação.

O tucano já mostrou em seus atos que vem adotando um estilo menos formal. Nem sempre ele está de terno e participa em ações junto ao povo, como por exemplo, andar de ônibus para verificar o estado de conservação do veículo e se os passageiros estão sendo bem tratados pelas empresas. Esses dias ele pediu que uma empresa colocasse ar-condicionado nos ônibus para melhorar as condições de viagem para o povo da capital paulista.

Publicidade

Popularidade

A popularidade do prefeito vem ganhando cada vez mais forças. Na última pesquisa que saiu, ele tem mais de 70% de aprovação dos entrevistados. Isso causou uma "saia-justa" no PSDB. Vários aliados do senador Aécio Neves e do governador Geraldo Alckmin acreditam que João Doria seria o nome mais "forte" para vencer uma possível disputa com o ex-presidente Lula.

Doria mantém o mesmo discurso e avisa que não pensa na Presidência e que seu candidato será Geraldo Alckmin. Mas, tudo pode mudar, caso o prefeito continue nesse ritmo acelerado.

O tucano também demonstra que é um grande inimigo dos petistas. Essa semana, ele declarou que defenderá o país contra o PT com todas as suas forças e criticou a tentativa de Lula comover as pessoas mais pobres com discurso de que é o único que pode salvar o país. #São Paulo