O ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva e um dos mais ferrenhos defensores do partido no Senado Federal, #Lindbergh Farias (PT-RJ), se desentenderam quando ao futuro comando da sigla. Ambos possuem visões distintas a respeito de quem poderia ser o novo presidente do PT. Enquanto Lindbergh demonstra a intenção de comandar a sigla, Lula aposta que a nova presidente a ser escolhida pelo partido, deva ser a senadora paranaense Gleisi Hoffmann. O clima acabou ficando "tenso" entre os dois, pois o senador não concorda com a opinião do ex-presidente.

Apelos de Lula

O ex-presidente Lula se encontrou com o senador Lindberg Farias nesta terça-feira (04) e foi surpreendido pela decisão de Lindbergh em não abrir mão pela disputa à presidência nacional da sigla petista.

Publicidade
Publicidade

Segundo relatos de pessoas presentes na reunião, o ex-presidente da República fez apelos para que Lindbergh desistisse de tentar a presidência do PT, já que de acordo com a proposta de Lula, a senadora Gleisi Hoffmann deveria ser quem concorresse pelo cargo. O momento acabou ficando mais "tenso" quando Lindbergh rebateu Lula, afirmando que já estava em campanha junto aos correligionários do partido e que não iria "abandonar os seus apoiadores", disse em referência à ala petista do movimento "Muda PT". Lindbergh agiu também durante um pronunciamento ao vivo, durante a noite, em rede social, reforçando a sua intenção de candidatura à presidência do partido.

Nos bastidores, alguns dos aliados do senador petista, afirmaram que ele se "sentiria desmoralizado", se viesse a desistir de concorrer ao cargo de presidente da sigla.

Publicidade

A decisão de Lindbergh, acabou contrariando as expectativas de Lula. O episódio que demonstra mais uma vez o "atrito" entre Lula e Lindbergh, é denotado quando o ex-mandatário afirmou no Instituto Lula, que o senador teria concordado em uma aliança com Gleisi, caso ela fosse lançada à presidência do PT, por meio da maior corrente petista "Construindo um novo PT". Lula acabou sendo desmentido pelo próprio senador Lindbergh, que declarou que "nunca desistiu de concorrer em apoio a Gleisi", sentenciou.

Se mantidas as candidaturas tanto de Lindberg Farias, quanto de Gleisi Hoffmann, à presidência do PT, serão dois candidatos envolvidos em processos na Operação Lava-Jato. O inquérito de Lindbergh foi, por ora, arquivado. á Gleisi é ré sob acusação de recebimento de propinas no escândalo de corrupção da Petrobras.