Na quarta-feira (05), o juiz federal Sérgio #Moro, responsável pela Operação Lava Jato, pediu para que o síndico do Condomínio Solaris, onde está o #triplex, supostamente de #Lula, que fornecesse para ele todos os registros de entrada e saída do ex-presidente Lula e de sua esposa falecida, Marisa Letícia. O magistrado está juntando provas para o dia 03 de maio, quando Lula estará frente a frente com ele dando explicações sobre as denúncias em que é acusado.

Porém, surge uma nova revelação e que pode complicar ainda mais a vida do ex-presidente. O ex-zelador do Edifício Solaris, José Afonso Pinheiro, revelou uma conversa entre dona Marisa e o ex-presidente da Construtora OAS, Léo Pinheiro.

Publicidade
Publicidade

De acordo com ele, a mulher de Lula havia pedido um elevador privativo no imóvel.

O ex-zelador até mostrou o local onde seria colocado o elevador, no hall social de entrada. No outro dia, após o pedido de dona Marisa, a obra começou e o elevador começou a ser instalado. Afonso disse ter sido demitido após ter fornecido à Justiça declarações contra o PT. O ex-zelador esteve dando depoimento para o juiz Sérgio Moro, em janeiro deste ano, quando contou que acompanhou as reformas no triplex através das ordens do ex-presidente Lula.

O ex-zelador ressaltou: "Ninguém pede a instalação de um elevador privativo num apartamento que não é seu".

Informações do ex-funcionário

José Afonso comentou que no dia que dona Marisa fez o pedido do elevador, estavam presentes no local o presidente da construtora José Adelmário Pinheiro, conhecido como Léo Pinheiro, que segundo o ex-zelador, é muito parecido com Lula, por causa da barba.

Publicidade

"Tinham várias outras pessoas juntas no hall. O Igor, um dos funcionários da OAS também estava lá", disse o ex-zelador.

Conforme informações de do ex-funcionário, o elevador acabou sendo construído, em 2014, e fez parte das reformas feitas no triplex pela OAS.

Visitas no triplex

Segundo o ex-funcionário do Edifício Solaris, as visitas de Lula e dona Marisa eram frequentes no prédio. "Ela vistoriava as obras e dava palpites na montagem do apartamento", revelou.

Todas essas informações podem ser confirmadas através da delação do empreiteiro aos Procuradores do Ministério Público Federal (MPF), na fase final de negociação. O MPF acredita que a OAS deu de presente para Lula esse apartamento como parte de um esquema de acerto de propina da Petrobras.

Lula continua afirmando que o triplex não é dele.