Em entrevista para a revista Veja, o general Eduardo Villas Bôas afirmou que o #Exército Brasileiro recebeu sondagem sobre a possibilidade de decretar o estado de defesa na época em que a então presidente, Dilma Rousseff, foi julgada no processo de Impeachment. Como resposta, Villas Bôas descartou qualquer possibilidade do Exército se intrometer em um processo democrático. Levando em consideração que era o povo que estava saindo às ruas para pedir pelo impeachment de Dilma. Entretanto, após ser questionado sobre quais foram os políticos que teriam pedido pela #Intervenção Militar, o comandante preferiu não se manifestar sobre o assunto, mas cita que foram políticos da esquerda que são aliados do PT.

Publicidade
Publicidade

Ele também ressalta que as Forças Armadas estavam apreensivas com a possibilidade de serem acionadas para conter as manifestações contrárias ao governo de Dilma. O general também cita que o Exército possui representantes responsáveis em defender os interesses das Forças Armadas, para aprovar seus projetos. Na ocasião, esses representantes foram sondados por partidos da esquerda que pretendiam usar a força militar para acabar com os protestos de rua.

Durante a entrevista, o general também demonstrou preocupação com o surgimento de novos líderes socialistas com discursos radicais que inflamem seus seguidores para que promovam a desordem e caos. Atualmente, o general concedeu uma declaração pública mostrando-se insatisfeito com a atual situação do Brasil. Em uma mensagem de 'fim de ano', o comandante do Estado Maior não se conteve e antes de felicitar os seus comandados, Villas Bôas afirmou que o Brasil atravessa uma grave crise política e econômica.

Publicidade

Na época do discurso, o comandante afirmou que dias piores estão por vir. Ainda mais com o orçamento negativo nos salários dos militares.

Na última quarta-feira (19), durante o evento que marcou o dia do Exército, o general voltou a se manifestar a respeito da crise extensa e profunda que o Brasil atravessa. Na ocasião, ele também falou a respeito do colapso vivido na segurança pública e sobre os incontáveis escândalos de corrupção que assolam o Brasil. Durante o evento, o Exército aproveitou a ocasião para entregar uma medalha de Honra ao Mérito Militar para o Juiz Federal Sérgio Moro. Ele foi homenageado por conduzir em primeira instância processos da 'Operação Lava Jato', que visa investigar oito ministros que fazem parte do governo de Michel Temer. Na ocasião, o presidente também esteve no evento, mas optou em permanecer longe da imprensa. #General Villas Bôas