#pesquisa divulgada nesta quinta feira (20/04) pelo Ibope mostra o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva com o maior percentual de votos entre os nomes apresentados na análise para 2018.

Desde 2015, o número de eleitores a afirmarem que votariam em Lula, em 2018, aumentou. De acordo com a pesquisa do Ibope, o número de pessoas a afirmarem que “com certeza” votariam em Lula é de 30%, e os que poderiam votar é de 17% (se somados os números, dá um total de 47%). Já a rejeição ao nome do ex-presidente caiu 14% desde o processo de “impeachment” da então presidente Dilma Rousseff.

Mesmo com cinco acusações na Operação Lava Jato, com o nome de possíveis assessores que estão sendo citado por delatores, e com a especulação midiática em desfavor ao seu nome, Lula mostra-se imbatível.

Publicidade
Publicidade

A pesquisa do Ibope confirma o levantamento do Vox Populi, divulgado na terça-feira (18/04) pela Central Única dos Trabalhadores – CUT, em que o Líder Petista já venceria todos os cenários no primeiro turno.

Nesta pesquisa, caíram os percentuais dos principais adversários ao presidente Lula. José Serra (PSDB-SP) caiu de 32% para 25%, e Geraldo Alckmin (PSDB-SP) saiu de 29% para 22%. O senador Aécio Neves despencou de 41% para apenas 22% dos votos.

Todos os nomes citados acima têm taxa de rejeição, ou seja, há eleitores que não votariam de jeito nenhum. 62% afirmaram que não votariam em Aécio, 58% não votariam em Serra, e 54% não votaria em Alckmin. O ex-presidente Lula, aparece com 51% de rejeição.

Como os principais nomes do PSDB têm maiores percentuais de rejeição que o do ex-presidente Lula, é possível imaginar que estão pensando em um novo nome, que provavelmente poderá ser o de João Doria – atual prefeito de São Paulo.

Publicidade

Doria (PSDB) teve o nome testado pela primeira vez. Segundo a pesquisa, 12% votariam “com certeza” no tucano, que teve uma rejeição menor que a dos competidores dentro do partido - 32%, mas não é um nome popular, e 44% dos entrevistados não o conhecem.

Assim como os tucanos, Marina Silva (Rede) teve seu potencial de votos reduzido. Apenas um terço dos eleitores tem como uma possível opção para 2018, antes eram 39%.

Jair Bolsonaro (PSC) surge com 17%, porém, a sua rejeição subiu de 34% do ano passado, para 42% na pesquisa atual.

Segundo as fontes, o Ibope entrevistou pessoalmente 2.002 eleitores, em 143 municípios de todas as regiões do país. A pesquisa foi realizada entre os dias 7 e 11 de abril, e tem uma margem de erro de 2%. #ibope2017