O mega esquema de #Corrupção e distribuição de propinas implantado pelo ex-governador do estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, pode complicar ainda mais a sua situação, já preso em uma operação no âmbito da Lava-Jato. Um dos grupos mais famosos de joalherias presente no Brasil, a H.Stern, fechou um acordo de colaboração premiada, juntamente à Justiça, por meio do Ministério Público Federal. O alto escalão que representa a empresa, neste caso, a joalheria supra-citada, está o presidente Roberto Stern, o vice-presidente, Ronaldo Stern. Além dos dois representantes, também selaram o acordo, o diretor financeiro da joalheria, Oscar Luiz Goldemberg e a diretora comercial, Maria Luíza Trotta.

Publicidade
Publicidade

Todos concordaram em pagar multas que somam valores equivalentes a R$ 18, 9 milhões. O acordo com a Justiça possibilitou ainda que eles prestem serviços comunitários, além da questão relacionada à emissão de todas as notas fiscais em relação à compras feitas pelo ex-governador do #Rio de Janeiro, Sérgio Cabral e a ex-primeira-dama, Adriana Ancelmo.

Nova denúncia contra Cabral

Uma nova denúncia formulada contra o ex-governador Sérgio Cabral, tem por base a prática de crimes relacionados à lavagem de dinheiro, através da compra de jóias caríssimas. Sérgio Cabral e sua esposa, Adriana Ancelmo, compraram aproximadamente quarenta peças da joalheria H.Stern, totalizando a quantia estratosférica de cerca de R$ 6,3 milhões. A multa disponibilizada será o equivalente a três vezes esse valor de compra das peças.

Publicidade

Vale ressaltar que os dois herdeiros da empresa, serão responsáveis pelo pagamento da maior quantia referente às multas, cujas penalidades atingem o valor de R$ 8,95 milhões para cada um deles. Já os diretores deverão arcar como custo de R$ 500 mil para cada um. O propósito para que respondam à Justiça, também pagando suas penalidades por meio de prestação de serviços à comunidade, encontra-se ainda em discussão. Uma das possibilidades é que os responsáveis tenham que oferecer cursos profissionalizantes na joalheria, estendendo-se ao prazo de aproximadamente dois anos.

Regalias adquiridas pelo casal

Entre presentes e regalias angariadas pelo casal Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo, através de recursos ilícitos, pode-se mencionar a compra de um brinco de outro 18 quilates, cuja peça possui um brilhante solitário e valor que extrapola R$ 1,8 milhão. Além disso, outra compra que chamou a atenção das autoridades, refere-se a um anel de ouro amarelo, cujo valor chega a R$ 1,1 milhão. Segundo os investigadores, as jóias foram destinadas como presentes. A defesa de Sérgio Cabral não quis comentar o caso. Já a defesa de Adriana Ancelmo, negou que ela tenha cometido crimes e que ela apenas realizou compras de jóias por meio de nota fiscal.

#Governo