Ex-presidente da República entre 2003 e 2011, e potencial candidato do Partido dos Trabalhadores (#PT) para o pleito de 2018, Luiz Inácio #Lula da Silva, o Lula, cutucou o PSDB em entrevista concedida nesta terça-feira à Rádio Cidade, de Natal. O grande líder da esquerda brasileira ironizou as declarações de seu antecessor no Planalto, Fernando Henrique Cardoso, #FHC, que minimizou na última segunda o fato de Lula estar na frente nas pesquisas.

Na visão de Lula, FHC e os demais tucanos fazem pouco caso das atuais pesquisas porque não estão tendo bom desempenho nelas. O petista entende que o pensamento deles seria diferente caso estivessem na frente.

Publicidade
Publicidade

Enquanto Lula deve mesmo ser o candidato do PT para as eleições presidenciais de 2018, o PSDB ainda não tem um nome claro e transita entre Geraldo Alckmin, José Serra, Aécio Neves e João Doria.

"O que vocês acham que ele (Fernando Henrique Cardoso) iria dizer caso estivesse na frente nessas pesquisas? Acham que diria o mesmo?", ironizou Lula sobre a fala de FHC.

Em evento realizado segunda-feira na cidade de São Paulo, o experiente político tucano, que governou o Brasil por dois mandatos (95 a 2003), minimizou as chances de Lula na corrida presidencial e retirou o peso das pesquisas realizadas neste momento, ainda faltando aproximadamente um ano e meio até as novas eleições no país.

"Temos que ver, primeiramente, se é isso mesmo (Lula na liderança). E depois, vejo que pesquisa fora de época não é pesquisa.

Publicidade

É como fazer projeções no vazio", criticou FHC.

Ao tomar ciência das declarações do tucano, Lula viu certa incoerência e mencionou um suposto "desaparecimento" dos políticos do PSDB entre os mais cotados para ocupar o Palácio do Planalto a partir de primeiro de janeiro de 2019.

"Evidentemente eu também acho que está muito cedo para esse tipo de pesquisa. Mas tenho certeza que os meus adversários não fariam esse tipo de crítica se fossem eles a estar ocupando os primeiros lugares. Ou ao menos em segundo. Isso que é o pior. Nem em segundo lugar estão. Não sei se já perceberam, mas os tucanos estão cada vez mais desaparecendo nas pesquisas", disparou Lula.

Pesquisas são favoráveis a Lula

Ainda que as eleições que apontarão o novo presidente só ocorram no segundo semestre do ano que vem, as pesquisas são unânimes em elencar Lula como o principal escolhido. Na semana passada, um levantamento do Ibope mostrou que o petista é quem tem o maior potencial de voto dentre nove outros nomes listados.

Publicidade

A última pesquisa Datafolha foi feita em dezembro do ano passado, e também trouxe Lula na ponta do "ranking".

Para Lula, os resultados apontados pelas pesquisas estão assustando os seus adversários, que, em sua análise, seguem tentando o atacar.

"Apanho todo o santo dia. No almoço, no café, na janta. O que eu acho que está preocupando os meus rivais é o resultado que as pesquisas mostram, e por isso eles sonham em me destruir para evitar que eu seja candidato no ano que vem. Isso deve deixar eles com sono e muito amargos", ironizou Lula.

O político evitou confirmar que será, mais uma vez, candidato. Entretanto, deixou claro que pretende seguir defendo aquilo que chama de "legado do PT" e que planeja viajar em breve pelo Nordeste para dialogar com as pessoas.

"O que eu quero é defender o legado deixado pelo PT, que foi o partido que mais conseguiu gerar empregos, aumentou o salário dos trabalhadores, levou energia às residências, fez rodovias, transposição do São Francisco... por isso temos as condições de consertar novamente o Brasil", pregou Lula. Entre outros nomes que podem aparecer no pleito de 2018, fora Lula e os tucanos já mencionados, estão Marina Silva, Jair Bolsonaro e Ciro Gomes.